Trump diz que é vitima da maior ‘caça às bruxas’ na história dos EUA

O presidente dos EUA não gostou da nomeação de um conselheiro especial para monitorizar a investigação à interferência russa nas eleições e as alegadas ligações à sua campanha.

Jonathan Ernst/REUTERS

“Esta é a maior caça às bruxas feita a um político nas história americana!”, tweetou Donald Trump numa reação à nomeação de um conselheiro especial monitorizar a investigação à alegada intervenção da Rússia nas eleições presidenciais americanas de 2016, bem como a possível conivência por parte de associados da campanha de Donald Trump ou existência de crimes federais.

A nomeação de Robert Mueller, ex-procurador federal que supervisionou o FBI durante os ataques do 11 de setembro, chega poucos dias depois de Donald Trump ter dispensado o responsável diretor a unidade James Comey e da notícia de que o presidente lhe pediu para arquivar a investigação sobre o anterior conselho de Segurança Nacional Michael Fynn.

Trump explicou ainda na rede social que a nomeação, feita pelo Departamento de Justiça, é uma caça às bruxas porque “com todos os atos ilegais que tiveram lugar na campanha de [Hillary] Clinton e na administração de [Barack] Obama, nunca foi nomeado um conselheiro especial”.

A controvérsia que rodeia a relação de Trump com a Rússia, que inclui relatos de que o presidente passou informação altamente secreta ao ministro dos negócios estrangeiros russo na semana passada, tem escalado nos últimos dias. O presidente norte-americano tem sido criticado pelos democratas e até por membros do seu partido republicano, com a polémica a atingir ontem os mercados financeiros, castigando os índices em Wall Street e o dólar.