Telemóveis proibidos para evitar novos erros nos Óscares

A Academia de Cinema dos Estados Unidos não quer ver repetida a polémica da cerimónia deste ano e vai introduzir algumas alterações nas regras.

Após o incidente ocorrido na última cerimónia dos Óscares, a Academia de Hollywood proibiu os colaboradores da PwC de utilizarem telemóveis nos bastidores de futuras cerimónias, de forma a evitar mais equívocos.

Foi no final da reunião de terça-feira passada entre a presidente da Academia e a PwC, que Cheryl Boone Isaacs informou os colaboradores, através de um email, das novas regras de protocolo.

Mas não foi a única medida estabelecida: o chairman da PwC nos EUA, Tim Ryan, vai passar a supervisionar as votações. Até à data, apenas dois elementos da auditoria estavam responsáveis por essa tarefa, na realidade, os únicos que conheciam os vencedores antes do anúncio nas cerimónias.

Na origem do incidente na última cerimónia está a distração de Brian Cullinan que, ao tirar uma selfie com Emma Stone, acabou por passar o envelope errado para as mãos dos apresentadores. A PwC apressou-se a responsabilizar pelo erro cometido, alegando se tratar de um “erro humano”.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB