InícioStartUp MagazineStartups de 18 países na corrida ao SIBS PayForward

Startups de 18 países na corrida ao SIBS PayForward

O acelerador de startups que resulta da parceria entre a SIBS e a Beta-i anuncia uma procura recorde de estrangeiros. Falta um mês para a conclusão da fase de candidaturas.

startup-photos

Ao acelerador de startups SIBS PayForward chegaram já dezenas de candidaturas de startups de 18 países, de sete áreas de atividade dos serviços financeiros.

Às portuguesas juntam-se startups oriundas da Colômbia, Egipto, França, Irlanda, Israel, Itália, Kuwait, Lituânia, Macedónia, Singapura, Espanha, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos, entre outras. Já as áreas de atividade, que se centram em torno do tema dos pagamentos e processos, incluem fraude e monitorização, finanças pessoais e gestão de contas bancárias.

“O termos conseguido atrair, a cerca de um mês do fim do encerramento das candidaturas, startups de 18 países diferentes e de 7 áreas de atividade diz muito do interesse que este tipo de programa começa a despertar no âmbito internacional”, vinca Manuel Tangêr, head of innovation & corporate acceleration e co-fundador da Beta-i, em comunicado de imprensa.

No mesmo documento, Maria Antónia Saldanha, diretora de Marca e Comunicação do Grupo SIBS, enfatiza o nível dos projetos –   já com “alguma maturidade e atividade no mercado muito interessante”.

A fase das inscrições dará lugar à seleção para o “bootcamp”, onde as equipas terão acesso a coaching individual, sessões de prática de pitch e workshops & sessões de mentoring, relevantes para o desenvolvimento do modelo de negócios e ajustamento dos produtos ao mercado. A fase de aceleração inicia em abril e tem a duração de dois meses.

 

  • Mad Alien1

    “bootcamp”, onde as equipas terão acesso a coaching individual, sessões de prática de pitch e workshops & sessões de mentoring.
    Estamos em Portugal onde se fala português? Ou já somos um qualquer híbrido, que nem se consegue definir?

  • Trumputin.

    Ai uma corridinha de startups..

    Ai tanto pan€l€iro…

  • Luís M. Carvalho

    Na corrida ao ouro quem ganhava dinheiro eram os vendedores de pás. Aqui os ganhadores são a malta do coaching individual, prática de pitch e workshops & sessões de mentoring.