Seis fluxos de investimento que vão liderar o mercado em 2050

Dos carros autónomos aos recursos naturais e ao investimento de responsabilidade social, várias apostas parecem vir a ter sucesso no futuro.

Alguns especialistas contactados pelo jornal espanhol El Economista identificaram seis fluxos de investimento que vão liderar o mercado em 2050 para ajudar os investidores a perceber quais são as empresas que terão sucesso no futuro. Da robótica ao ambiente, eis as seis seleções dos peritos:

Robótica e cibersegurança

Os cálculos da AXA dão conta de que esta tendência vai crescer 10% ao ano até 2025 impulsionado em grande parte pelos avanços na tecnologia e devido às empresas incluírem esses projetos cada vez mais nos seus planos de negócios para o futuro. “A robótica é um investimento viável para cada vez mais pessoas e uma forma de crescimento potencialmente superior à do mercado”, explicou Tom Riley, gerente de fundo AXA World Funds Framlington Robotech Fund.

Mudanças demográficas

O envelhecimento da população vai trazer benefícios a, pelo menos, três setores: farmacêutico, saúde, financeiro e de consumo. A previsão de que em 2050 a população mundial com mais de 60 anos de idade chegará aos dois mil milhões vai fazer com que as empresas ligadas a estas indústrias lucrem com as mudanças demográficas.

Água

Não é permitido especular directamente sobre este recurso natural, o que não impede de se apostar em fundos que investem em empresas cuja atividade se desenvolve no setor. Segundo dados da Morningstar, há diversos fundos em que podem investir em água, como por exemplo: RobecoSAM Sustainable Water, Pictet-Water, Waterlane sicav, Panda Agriculture & Water Fund, Variopartner Tareno Waterfund y JSS Sustainable Equity Water.

Ambiente

Prevê-se que o custo para os vários governos não adoptem medidas para combater o aquecimento global cheguem aos 4,2 bilhões de dólares nas próximas décadas. Nessa ótica, um investimento eficaz em matéria ambiental pode ser benéfico. Um estudo do Deutsche Bank concluiu que as firmas do S&P 500 que investem “ativamente contra estes riscos consigam um retorno 67% superior ao daqueles que não se preocupam com as suas emissões”.

Veículos autónomos

Um relatório do Credit Suisse mostrou que, na próxima década, vai ser alocado 1,5% do PIB mundial para testar soluções para mobilidade, de acordo com um relatório Credit Suisse. A Fidelity considera que tanto os carros elétricos como os veículos autónomos, sensores, mapas ou integradores de sistemas podem uma boa opção de investimento.

Responsabilidade social

O investimento de responsabilidade social (ISR) destina-se a medidas de desenvolvimento sustentável e às medidas de compliance de cada empresa. Para os especialistas, este tipo de investimento é cada vez mais importante em termos preventivos. “Não há diferença em termos de rentabilidade em relação ao investimento tradicional, mas a diferença é que se pode evitar surpresas como por exemplo a que protagonizou em 2015 a Volkswagen”, indicou a gestora de patrimónios Tressis ao matutino.



Mais notícias