Secretário-geral do PSD investigado pelo DIAP de Lisboa

A Procuradoria-Geral da República abriu inquérito referente ao caso do mestrado de Feliciano Barreiras Duarte.

A Procuradoria-Geral da República remeteu para inquérito no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa os elementos que recolheu sobre o caso do currículo do secretário-geral do PSD, Feliciano Barreiras Duarte.

“Na sequência de notícias vindas a público, a Procuradoria-Geral da República procedeu à recolha de elementos. Esses elementos foram encaminhados para o DIAP de Lisboa com vista a inquérito”, revelou a PGR, em resposta à agência Lusa, sem adiantar mais pormenores.

Feliciano Barreiras Duarte é um dos homens mais próximos de Rui Rio e trabalhou nos bastidores com o ex-autarca do Porto na candidatura às eleições diretas do PSD. Integrou a comissão organizadora do Congresso do PSD ao lado do secretário-geral cessante.

Foi chefe de gabinete de Pedro Passos Coelho durante os primeiros anos da liderança do PSD, mas acabou por sair devido a divergências políticas com o ex-líder. Ocupou ainda o cargo de secretário de Estado Adjunto do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

Este era um dos nomes esperados para ocupar o cargo de secretário-geral, que é visto como um cargo mais burocrático e menos político no partido. O apoiante de Rui Rio irá ficar também responsável por fazer a ligação entre a direção do partido e os restantes órgãos do país e gerir as contas do PSD.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB