Saúde: três genéricos permitem poupança de 30 milhões de euros em 2017

Só um tratamento na área do cancro e outro contra o VIH permitiram uma redução de despesa de 25,5 milhões de euros.

Foto cedida

Os hospitais portugueses pouparam perto de 30 milhões de euros só com três genéricos, nos primeiros dez meses de 2017, informa o “Diário de Notícias” (DN) esta terça-feira. Só com dois medicamentos para o tratamento de cancro e VIH a poupança foi superior a 25 milhões de euros entre, janeiro e outubro.

Segundo dados da Autoridade do Medicamente (Infarmed), citados pelo DN, só um tratamento na área do cancro e outro contra o VIH permitiram uma redução de despesa de 25,5 milhões de euros, entre janeiro e outubro, em comparação com o mesmo período do ano passado. Poupança a que se juntaram os 2,2 milhões de euros num antibiótico usado em meio hospitalar.

Os dados agora conhecidos foram apresentados pelo Infarmed a meio deste mês, numa reunião da Comissão Nacional de Farmácia e Terapêutica. Os medicamentos responsáveis por uma poupança de quase 30 milhões de euros foram o imatinib, um medicamento da área de hematoncologia, e abacavir + lamivudina, dois medicamentos para o tratamento do VIH.

 






Mais notícias
PUB
PUB
PUB