Santander Totta assessora OPA da EDP Renováveis

O Banco Santander Totta assessorou a OPA da EDP sobre a sua subsidiária EDP Renováveis, disse ao Jornal Económico o banco liderado por António Vieira Monteiro. Do lado da EDP Renováveis esteve o Deutsche Bank que foi quem assessorou o relatório da administração que considerou o preço da oferta adequado.

O Banco Santander Totta assessorou a OPA da EDP sobre a sua subsidiária EDP Renováveis, disse ao Jornal Económico o banco liderado por António Vieira Monteiro.

Do lado da EDP Renováveis esteve o Deutsche Bank que foi quem assessorou o relatório da administração que considerou o preço da oferta adequado.

A Comissão do Mercado de Valores Mobil registou a Oferta Pública de Aquisição (OPA), “geral e voluntária”, lançada pela EDP sobre o capital da EDP Renováveis, em que oferece 6,75 euros por acção porque já foi pago em maio um dividendo de cinco cêntimos.

Os argumentos usados pela administração da EDP não chegam para convencer os accionistas norte-americanos representados pela MFS Investment Management, que tem 4% da EDP Renováveis.

A EDP pretende comprar os 22,5% do capital que ainda não detém na EDP Renováveis e António Mexia diz que a “eficácia da oferta não estará subordinada à verificação de qualquer condição”.

Recorde-se que a EDP Renováveis foi lançada na bolsa de Lisboa em Maio de 2008, com cada acção a valer oito euros.

“A oferta decorrerá entre as 8h00 de 6 de Julho e as 15h00 de 3 de Agosto, podendo as respectivas ordens de venda ser recebidas até ao termo do deste prazo”, segundo anunciou na semana passada a CMVM em comunicado.

Adianta, que os detentores das acções que aceitem a oferta poderão revogar as suas declarações de aceitação até às 15h00 do dia 31 de Julho, sendo que a data prevista para o apuramento e divulgação dos resultados da OPV é a 4 de Agosto deste ano.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB