Saiba como viajar na Carris… de barco

A gestão da Carris e das suas participadas, como a Carristur, passou a ser assumida pela Câmara Municipal de lisboa a partir de 1 de fevereiro passado.

A Carristur, empresa participada da Carris para os trajetos turísticos, realiza hoje à tarde a viagem inaugural do seu mais recente navio, o ‘Princesa de Belém, para cruzeiros fluviais no Tejo.

O ‘Princesa de Belém’ junta-se, assim, ao ‘São Paulus’, na realização de circuitos da rede ‘Yellow Boat Hop On Hop Off’, ao longo do rio Tejo, junto à cidade de Lisboa.

Para além do circuito turístico, o ‘Princesa de Belém’, com capacidade até 150 pessoas, está devidamente equipado para receber todo o tipo de eventos, como ações de ‘team building’, festas de aniversário, passeios, reuniões de empresas ou qualquer outro tipo de evento personalizado.

“Desta forma, a Carristur, um dos maiores operadores de circuitos turísticos em Portugal, amplia a sua frota turística na cidade de Lisboa”, sublinha um comunicado da participada da Carris.

Com saídas regulares do Terreiro do Paço, até Belém, os passeios ‘Yellow Boat Tour’ permitem desfrutar de uma vista privilegiada de Lisboa, destacando-se importantes monumentos e edificações, como o Castelo de São Jorge, Sé, Cristo Rei, Ponte 25 de Abril, Mosteiro dos Jerónimos, Padrão dos Descobrimentos e Torre de Belém.

O Yellow Boat Tour realiza-se todos os dias, com saídas às 10h, 11h, 13h, 14h, 15h, 16h, 17h, e 18h e tem uma duração aproximada de 1h30m.

O preço do bilhete é de 20 euros para adulto e de 10 euros para criança.

Este circuito opera em sistema ‘hop-on hop-off, sendo por isso possível entrar e sair em qualquer uma das suas paragens – Terreiro do Paço, Trafaria e Belém – durante a validade do bilhete.

“Sob a marca Yellow Bus, a Carristur pretende proporcionar uma experiência única àqueles que visitam as cidades onde está presente: Lisboa, Porto, Funchal, Coimbra, Braga e Guimarães, assumindo-se como um promotor turístico destas”, adianta o referido comunicado.

Segundos os responsáveis da Carristur, “os circuitos são desenhados por forma a apresentar os locais de maior interesse cultural, histórico e arquitetónico, assim como a sua vivência global e a sua envolvente natural, e desta forma poder contribuir para a valorização do destino”.

Recorde-se que a gestão da Carris e das suas participadas passou a ser assumida pela Câmara Municipal de Lisboa a partir de 1 de fevereiro deste ano.

 



Mais notícias