InícioSociedadeRanking do Ministério coloca escolas públicas no topo

Ranking do Ministério coloca escolas públicas no topo

Escolas que eram habitualmente colocadas em 300º lugar passam a liderar ranking do ensino secundário no top 5.

alunos-escolas

O novo indicador estatístico apresentado esta terça-feira pelo Ministério da Educação coloca as escolas de ensino secundário públicas à frente das escolas privadas, que geralmente ocupam os lugares no topo da tabela.

Até aqui, os rankings do ensino secundário eram feitos pelos jornais tendo por base os resultados dos alunos nos exames nacionais. Agora, o Ministério da Educação quer tornar o indicador de medição do desempenho das escolas para o ensino secundário “mais realista e justo”, tendo em conta o nível sociocultural e todo o percurso individual dos alunos do 10º ao 12º ano.

Com esta análise será possível traçar um novo retrato para as escolas, tendo em conta que não só as médias dos exames contarão mas também o eventual histórico de retenções no 10º e 11º ano.

O novo indicador, nomeado pelo Governo como “percursos diretos de sucesso”, passou ontem a estar disponível no portal InfoEscolas, e vem colocar algumas escolas públicas, sistematicamente classificadas abaixo das privadas, em posições muito confortáveis no ranking.

Segundo o secretário de Estado da Educação, João Costa, as primeiras simulações feitas com base neste novo indicador mostram “escolas que habitualmente ficam colocadas em 300º lugar nos rankings a subirem ao top 5”. “No topo há uma mancha mais rica de públicas e privadas”, frisa.

  • José, Província

    Manipulação a 100% parabéns ao ministro e ao governo do Derrotado Costa,pm.

    • JcR

      Azia??? umas pastilhas e , … Passos! e já foste!

      • José, Província

        Escusa de andar aqui a dizer o que toma sr JcR.
        Eu sei que muitos comentadores o fazem mas a mim não me interessa o que o sr toma.

        • JcR

          Tomo consciência que todos os indices melhoraram, e que o país segue um rumo certo. O resto é a caravana do costume, os que nada fizeram e agora estão a roer as unhas.

          • José, Província

            Ainda bem que as pastilhas lhe causam esse efeito só dois indicadores melhoram: turismo e desemprego (já não é mau). Não se esqueça que melhorar é ficar melhor não é ficar pior, as pastilhas é que lhe podem dar esse efeito.
            Não se pode dizer que o crescimento melhora quando passa de 1.6% para 1.2%. Isso só o Derrotado Costa,pm o pode dizer!
            Há um indicador que está a melhorar a olhos vistos é a capacidade do congelador da despesa e do calote do estado.

          • JcR

            E tudo o que foi feito e bem, não foi à custa dos trabalhadores, reformados, pensionistas e de inconstitucionalidades.

          • Condado Portucalense

            Claro que não. Foi feito com o dinheiro que o anterior governo deixou nos cofres do Estado.
            Com dinheiro no bolso até eu faço festanças, e não sou politico.
            Quando o défice estava nos 11.2%, a taxa de desemprego ultrapassava os 17% e a guilhotina da Troika pendia sobre as cabeça dos portugueses, não vi o Derrotado Costa. Por onde andaria? Porque não deu a cara? Pelos vistos, não tinha coragem, nem tinha os ditos cujos no sítio para enfrentar uma situação económica dificílima, herdada da bancarrota socialista.
            Resolveu aparecer quando a tempestade já tinha passado. Que belo politico me saiu. Sim senhor.

          • JcR

            O defunto governo (presidente, pm, ministros e AR), empobreceram o país de capitais humanos e financeiros, tentaram governar contra a constituição, venderam ao desbarato, não souberam negociar com sindicatos, não valorizaram o país nem os portugueses, foram substituídos, e bem. O resto é retórica.

          • Condado Portucalense

            Há 40 anos que me andam a dizer que o país segue no rumo certo.
            E o resto é a caravana do costume. Melhor dizendo, a caravana passa e isto continua tudo na mesma.
            Quanto ao ranking, nada a dizer. A estratégia própria dos regimes comunistas. Arranjam-se um critérios manhosos de avaliação, que excluem os resultados das provas, e pronto, maravilha das maravilhas, subitamente, como que por magia, as escolas públicas chegam aos primeiros lugares do ranking.

          • JcR

            Magia são os resultados que o País tem apresentado, sem ser à custa dos mais frágeis e desfavorecidos.

          • Condado Portucalense

            O governo faria magia se cumprisse a promessa de crescimento do PIB.
            Prometeu 2.4% de crescimento, apenas tinha de chegar ao final de Dezembro com o PIB a crescer efectivamente 2.4%.
            Ao que tudo indica, na melhor das hipóteses o PIB crescerá apenas metade do prometido (1.2%). Bela magia. Melhor dizendo: Que raio de magia.

          • Joao Silveira

            Mas alguém frágil ou desfavorecido acrescenta algo de útil ao país?

          • JcR

            Então? temos um adepto dos campos de extermínio???

          • Condado Portucalense

            Perante o governo menos reformista do pós 25 de Abril, que se limita a distribuir o dinheiro que os outros deixaram, a aproveitar os recordes do turismo, a venda dos aviões F16 à Roménia, o crescimento das exportações à custa da industria dos têxteis e do calçado, que fizeram crescer anémicamente a economia, você diz que o país está no rumo certo.
            Definitivamente, não aprendemos. Sinceramente, acho que os portugueses merecem tudo o que lhes tem acontecido e, pelos vistos, ainda precisam de dar mais umas cabeçadas nas paredes até caírem na realidade e deixarem de acreditar em países fictícios vendidos por políticos indianos vendedores da banha da cobra.

            JÁ AGORA, ENUMERE OS ÍNDICES QUE MELHORARAM?

    • O Diabo veste PIB.

      r/ tomar um Vipocem 5mg, SOS (em caso de crise aguda ou ataques).

  • Mário

    Em vez de reconhecer os problemas das escolas que ocupam o 300º lugar do ranking, para tentarem melhorias nas mesmas, subvertem por completo a classificação, convertendo-as nas melhores classificadas, ou seja, ocultando os pontos negativos. Se passam a ser as melhores, nada haverá a corrigir…e tudo está bem!
    O socialismo é isto???…ou, como dirá o ministro “O xuchialixmo é ixto???”.

    • JcR

      Azia??? doi…doi.. umas.. pastilhas e , … Passos! e já foste!

      • Mário

        Ao contrário do que pensa não faço parte da “carneirada” de nenhum partido. Diga lá o mesmo, se conseguir…
        É uma pena que não se discutam boas ou más decisões. O problema é que a escolaridade de alguns não lhes permite sair do “PS”, do “PSD” ou de outro qualquer “clube de futebol”.

        • JcR

          Receio que “carneirada” não seja um termo feliz. Aí teriamos que concluir que eramos todos carneiros, os que têm pastor e os tresmalhados, aqueles que dizem não ter pastor, mas que se seguem uns aos outros e têm um dono ideológico, chame-se ele o que chamar. Há tambem os carneiros castrados, berram, berram mas nada fazem nem fizeram.

  • pa

    mais um vez o embuste deste governo ao seu mais alto nivel.
    vejamos na entrada nas universidades públicas qual é a percentagem de entrada de alunos das escolas privadas, públicas e publico/privadas e vejamos onde o ensino é melhor.

    • JcR

      Azia??? umas pastilhas e , … Pafiosos! já eram!

    • Des Agarra-me

      Nas escolas privadas as notas são inflacionadas. O ensino não é melhor nas privadas.

      • Maria Alves

        Tem razão. Há boas e más escolas publicas, assim como há boas e más escolas privadas.
        Mas os rankings são feitos em anos de exames nacionais e esses são iguais para todos.
        Por isso, agora é tão importante acabar com estes exames.
        Assim a comparação não pode ser objectiva e arranjam-se umas métricas jeitosas para caber na verdade que interessa!

    • Paula Magalhaes

      Entrar até podem entrar. As notas internas são inflaccionadas, como convém a um negócio que se pretende lucrativo. À partida já levam vantagem sobre os alunos do público. Mas quer mesmo comparar o sucesso dos alunos oriundos do privado com o do público? Olhe que os seus argumentos caem logo por terra…

    • pieidge

      Eu fui sempre aluno de escolas públicas, embora tenha estudado numa universidade privada. E a partir do 11º ano, em todos os agrupamentos que existiam na minha escola (1 Ciências Tecnológicas e 4 – Ciências Humanísticas), começava-mos a ter disciplinas opcionais. MACS deu até certa altura para ser substituída por «Economia A», acho que já não dá. Mas nessa, o exame era obrigatório. No entanto haviam outras como Sociologia ou Psicologia, que eram dadas de qualquer maneira, sem professores com preparação para tal. E o meu professor de Sociologia, disse-me que toda e qualquer disciplina, que não tinha exame obrigatório, eles podiam inflacionar á vontade, porque assim, os professores não estavam a ser avaliados, e que só eram avaliados, pelos exames que os alunos faziam, quando uma disciplina não tinha exame obrigatório, como o caso desta, poderia ou não, ser uma festa. Isto que o professor disse, é válido para qualquer escola do país, seja pública ou privada. Eu acredito que esta situação, se esteja a passar em todas as escolas do país. Este professor ainda era exigente apesar de tudo, isto é, não dava notas de mão beijada, era raro haver notas acima do 16. Já a outra professora que dava Psicologia, disciplina escolhida por todas as 3 turmas do agrupamento 1 (na minha escola nesse ano no 12ª, só haviam 3 turmas de agrupamento 1 e a minha de agrupamento 4), dava notas entre o 18 e o 20 a todos os alunos, sem eles fazerem testes. ´Portanto a média destes alunos numa escola pública, foi inflaccionada e muito, para os cursos onde eles queriam. Isto só não deu barraca, porque possivelmente ninguém da minha escola foi para Psicologia na Universidade, cheguei a ouvir palavras muito parecidas com estas, de uma aluna finalista. Para terminar, esta professora já reformada, o seu curso era de Filosofia, mas a nível nacional, é comum professores de Filosofia darem Psicologia no Secundário. Esta professora, segundo ouvi dizer, também, não fazia testes a Filosofia, ou só o fez, quando os exames foram obrigatórios. Além disso, consta-se que ela tinha problemas psicológicos, que vendia “caldos Knorr” em Raves, e que matou o seu marido com um tiro de espingarda, já o meu professor de Sociologia, era licenciado pré-Bolonha em Economia pela Nova, e ele disse que a Sociologia a nível nacional, não é dada por Sociólogos, mas sim por professores de Economia e de Direito, sendo que no meu distrito (Santarém), só existe um Sociólogo no ensino Secundário a dar Sociologia, e é o professor Universitário Garrido que a dá, no concelho do Entroncamento. Também a economia no Secundário, não é necessariamente dada só por Economistas no Secundário, mas também por professores de Direito. E o meu professor de economia, não percebia nada de Economia, só percebia de direito. Aliás, o meu professor de Economia queria dar Sociologia, e o meu professor de Sociologia que é licenciado em economia, queria dar-nos economia, e a nossa escola não deixou (o que nos deu Economia queria dar Sociologia e o que nos deu Sociologia, queria dar economia, portanto eles queriam trocar um com o outro). Mas a meu ver, ainda bem que isso não aconteceu, porque esse “economista” vive obcecado com a imagem, e só para não “correr riscos” de ser mal avaliado nos exames nacionais, iria reprovar muita gente que acabou por passar no exame nacional, ensinados pelo professor de Direito.

  • FernandoAlves

    Mandaram os burros para onde? Ou agora já não há burros? Geração com sorte, no meu tempo havia e muitas vezes não conseguiam sequer a 4ª classe e eu confirmo que não tinham a mínima capacidade para tal. Agora parece-me que equivale ao 12º ano a julgar por alguns que me chegam aqui à empresa e nem sabem o Teorema de Pitágoras, pasmem-se agora, vindos de Ciências!!!

    • Des Agarra-me

      Os burros vão para a privada para lhes subirem as notas artificialmente e conseguirem passar de ano.
      E tem toda a razão, têm vindo a destruir a escola com vista à estupidificação da população. E ainda dizem que é a geração mais bem preparada de sempre… Sim, a mais bem preparada de sempre para serem carneiros e não pensarem pelas próprias cabeças.

      • comuna

        Enganou-se. Agora muitas escolas públicas com bons resultados passaram a medianas. Uma pura manipulação socialista e medíocre.

  • Maria Alves

    E pronto! Resolveu-se o problema do ensino nas escolas PUBLICAS classificadas em ultimo!!!
    Agora são as MELHORES! Como posso matricular o meu filho numa dessas TOP 5?
    VIVAM os rankings deste governo!!
    GRANDE ministro e sua sombra!
    Era mesmo disto que os nossos alunos precisavam! VERDADE acima de tudo!!!

  • escaravelho

    A melhor escola é aquela onde eu andei.

  • comuna

    Rankings destes só neste País. Segundo o meu ranking o ministro é a pessoas mais manipulável deste País.

  • O Diabo veste PIB.

    A direitalha fascista faz uma grande aldrabada com os rankings escolares.

    Eles querem que as católicas tenham os melhores resultados.

    Ora todos sabemos que muitos rabetas se formam nessas escolas…

  • Paula Magalhaes

    Este é o tipo de estatística que se faz nos países do norte da europa, não para comparar público / privado mas escola 7 escola. Todos os factores condicionantes do sucesso ou insucesso dos alunos são tidos em conta. Só quem não percebe nada de ensino pode alegar justiça em comparar os resultados de alunos do Restelo com alunos da Brandoa. Tudo tem que entrar no cálculo dos resultados, inclusive o meio socio-económico e cultural dos alunos, factores que, por muito que a escola se esforce, é tarefa difícil de mitigar. Comparar alunos que chegam à escola com fome, frio e sem qualquer suporte familiar, horas em transportes públicos, com alunos que viajam, têm conforto e alimentação adequadas, vão de carro para a escola e usufruem de bons explicadores, etc, só é possível para quem faz da demagogia um modo de vida. Claro que quando eram os jornais pertencentes a grupos económicos( detentores em simultâneo de grupos privados ligados ao ensino) a “fornecer” os dados e elaborar os rankings, a teoria da manipulação era um delírio colectivo…Enfim…

  • Rodrigo Carvalho

    Uma tentativa de apresentar um índice de sucesso escolar através de um análise mais justa do trabalho realizado em função das características dos alunos e toda a gente percebe que tem é mais difícil nas escolas públicas que recebem todos os alunos com necessidades especiais e de meios socio-económicos mais complicados. O critério é igual para todos. Porque ficam nervosos? quando voltar a direita ao governo muda-se outra vez os critérios para favorecer interesses financeiros. Só liga a isso quem acredita que os políticos percebem alguma coisa de educação.

  • E o atual ministério que através da Sandes de Leitão que por mero acaso, tem os filhos num colégio privado e que passou o Verão todo a antagonisar colégios com contratos de associação é certamente a entidade mais imparcial nesta matéria. Porque isto não é nada suspeito…

  • Pika Miolos

    Será caso para dizer:
    O ranking da escola do meu filho escolho eu. PONTO
    Mas com um sorriso amarelo em vez de 1 t-shirt amarela.

  • Bono Istomin

    a boa maneira da uniao sovietica, o pais caminha a passos muito largos para o caos total.

  • J. Santos

    Costa e seus ministros fazem milagres e, por este meio, resolvem um problema antigo das escolas públicas: a classificação no ranking.
    E assim, por milagre, as escolas públicas classificadas em último passam a ser as melhores.