Puigdemont descarta marcação de eleições na Catalunha

Em causa estará o facto da Generalitat não ter recebido garantias suficientes relativamente à aplicação do Artigo 155. Aplicação do mesmo, por parte de Madrid, “é abusiva e injusta”, acusa Puigdemont.

O presidente do Governo catalão anunciou que neste momento não existem condições para convocar eleições anteipadas.

Numa declaração muito esperada, e na qual se esperava o anúncio de eleições na Catalunha, Carles Puigdemont realçou que tentou “obter garantias” por parte de Madrid mas não conseguiu que “nenhuma das garantias justificassem as eleições”.

Comentando a aplicação do artigo 155, o líder do Governo catalão afirmou que a implementação do mesmo por parte de Madrid “é abusiva e injusta”.

Líder do Governo catalão esclareceu que nestas últimas horas e antes que expirasse o seu poder para convocar eleições no Parlamento, “considerei a possibilidade de o exercer e convocar eleições”. Para Puigdemont, o seu dever e responsabilidade passa por “esgotar todas as vias para encontrar uma solução dialogada e acordada”.

Porta aberta à declaração de independência?

A poucos minutos da declaração do líder do Governo da Catalunha, jornais como o La Vanguardia já antecipavam este cenário, vaticinando que o mesmo “deixa a porta aberta a vários cenários em que é possível a declaração de independência”.

Existem alguns meios, citados pelo La Vanguardia, que chegam a afirmar que a declaração de independência poderá mesmo ter lugar esta sexta-feira, pelas 14 horas, em pleno parlamento.

 





Mais notícias