PSI 20 continua no “vermelho”, mas já há cotadas com evolução positiva

"Há um ligeiro sinal de recuperação de algumas cotadas do PSI 20, numa altura em que se começa a verificar uma correção dos principais índices europeus", afirma Steven Santos, analista do BiG.

REUTERS/Benoit Tessier

A bolsa portuguesa continua a negociar no “vermelho”, a meio da sessão desta terça-feira, em linha com a maioria das praças europeias. O principal índice português, PSI 20, recua 1,24%, para 5.338,25 pontos, com o setor da energia e retalho em queda, mas já sem a tendência generalizada que marcou o início da sessão.

“Há um ligeiro sinal de recuperação de algumas cotadas do PSI 20, numa altura em que se começa a verificar uma correção dos principais índices europeus”, afirma Steven Santos, analista do BiG.

Em terreno negativo está o setor da banca. O BCP recua 3,21%, para 0,289 euros, depois de ter sido uma das cotadas que mais valorizou desde o início do ano. O mesmo está a acontecer com o setor do retalho, com a Sonae a perder 2,94%, para 1,188 euros, e a Jerónimo Martins a cair 1,22%, para 16,555 euros.

No setor da energia, a tendência é também de quedas. A EDP perde 1,34%, para 2,660 euros, a EDP Renováveis cai 0,93%, para 6,905 euros, a Galp Energia desvaloriza 0,90%, para 14,790 euros, e a REN resvala 1,63%, para 2,412 euros.

Em terreno negativo estão ainda a NOS (-0,87%), a Mota-Engil (-1,61%), a Novabase (-3,96%), a Ibersol (-2,14%), a Corticeira Amorim (-1,38%) e os CTT (-0,06%).

Pela positiva destaca-se a Pharol, que sobe 9,07% para 0,199 euros. Steven Santos nota que esta foi uma das cotadas que mais desvalorizou devido ao plano de reestruturação da empresa brasileira Oi. “A empresa está a ser penalizada pelo adiamento da assembleia-geral de credores da Oi, mas ainda assim continua a insistir que a reunião se vai realizar na data prevista”, explica.

A subir estão também a Semapa, a Navigator e a Altri, que representam “o setor exportador do PSI 20”, indica o analista do BiG. A Semapa perde 0,11% para 17,820 euros, a Navigator cai 2,09% para 4,304 euros e a Altri recua 1,09% para 4,625 euros.

Nas restantes praças europeias, predomina ainda tendência negativa, apesar de os índices terem dado sinais de retoma. O alemão DAX perde 2,47%, o francês CAC 40 recua 2,78%, o espanhol IBEX 35 resvala 2,99%, o holandês AEX desvaloriza 2,81%, o britânico FTSE 100 cai 2,07% e o italiano FTSE MIB tomba 2,47%.

“Nas bolsas europeias assiste-se à exaustão das quedas e há boas perspetivas de que venha a haver de facto uma correção bastante rápidas das perdas registadas”, defende Steven Santos. “Esta desvalorização do mercado foi exacerbada pelo facto de haver várias contas alavancadas e a gestão de risco ter sido descuidada, mas nada aponta para uma mega reversão da tendência dos títulos”, acrescenta.

No mercado petrolífero, o brent perde 1,04% para os 66,92 dólares por barril e o crude WTI recua 1,23%, para 63,36 dólares. “Há uma ligeira correção do mercado petrolífero, em linha com a que se tem verificado nos ativos de risco”, afirma o analista do banco BIG.

No mercado cambial, o euro perde 0,19% para 1,234 dólares e a libra cai 0,61% para 1,387 dólares.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB