PS francês entra em derrocada, com Macron a assistir

As forças políticas francesas começam a posicionar-se para as eleições legislativas de Junho próximo. Manuel Valls já mudou de ‘casa’.

Lionel Bonaventure / Reuters

Já se sabia que Manuel Valls – ex-primeiro-ministro de François Hollande – não estava com a melhor das disposições para lidar com os seus camaradas do PS francês: não gostou de ver a sua candidatura a candidato às presidenciais ser reprovada nas primárias, e não poupou aquele que parecia ser o seu candidato, Benoît Hamon, pelo fracasso da primeira volta, a 23 de Abril, quando conseguiu pouco mais de 6%.

Valls foi acusado de falta de camaradagem partidária, porque ’furou’ o pacto de não-agressão’ que os candidatos socialistas derrotados nas primárias do partido assinaram (com um aperto de mão), como forma de manter o partido unido nas fileiras de Hamon. O ex-primeiro-ministro não resistiu a comentar depreciativamente a campanha do seu camarada – e as críticas subiram de tom depois da primeira volta. Nessa altura, Valls disse mesmo que “era o fim da história [do PS francês], o fim de um ciclo”.

Mesmo assim, ninguém estava à espera que Valls deixasse o partido e rumasse de armas e bagagens para o En Marche – movimento que levou Macron até ao Palácio do Eliseu – tendo ontem afirmado que será candidato ao parlamento por aquele movimento nas eleições de Junho.

Fica agora claro que Macron passa a contar com a drenagem de forças do PS para o En Marche, sendo essa, para o novo presidente, uma belíssima notícia: num cenário em que não há indicações sobre a força que o movimento tem num quadro de legislativas, qualquer adesão é de assinalar.

Fica, entretanto, por saber-se qual será a reação dos socialistas franceses, que têm pela frente a eventualidade de passar os próximos anos sem terem a força política que se habituaram a ter de há décadas a esta parte. Pior: têm apenas um mês (vá lá, cinco semanas) para demonstrarem aos franceses que conseguem ‘dar a volta’ à crise e conseguem manter o seu eleitorado tradicional agregado em seu redor.

PUB
PUB
PUB