Proveitos totais crescem na hotelaria apesar de um ligeiro decréscimo nas dormidas

A Região registou no mês de Maio um decréscimo de 0.6% nas dormidas, comparativamente ao período homólogo, mantendo-se, contudo, um crescimento da ordem dos 5,2% no que se refere aos proveitos totais.

A Região registou no mês de Maio um decréscimo de 0.6% nas dormidas, comparativamente ao período homólogo. Apesar desta quebra, o somatório total do número de hóspedes nos primeiros cinco meses deste ano manteve um crescimento da ordem dos 3,5%.

Em Maio deste ano, ficaram alojados na Madeira 670,6 milhares de hóspedes, sendo que destes apenas 73 627 eram residentes em Portugal.

Pela positiva, a Direção Regional de Estatística destaca o crescimento da ordem dos 5,2% no que se refere aos proveitos totais, num total de 36,4 milhões de euros.

A taxa líquida de ocupação-cama (TLOC) fixou-se, no mês em referência, em 73,9%, sendo idêntica à observada em maio de 2016 e mantendo-se como a mais elevada entre as regiões NUTSII portuguesas.

Há ainda a salientar o acréscimo homólogo do rendimento médio por quarto (RevPAR) em 4,2%, para 51,95€.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB