Proteção Civil “deve coordenar e não comandar”, defende Liga de Bombeiros

Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses defendeu que falta dar à Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) aquele que deve ser o seu papel: de órgão coordenador e não de comando.

“O que falta é, efetivamente, dar à ANPC aquele que deve ser o seu papel, que é de um órgão coordenador. Em qualquer país da Europa e do mundo, é de coordenação, só em Portugal é que comanda”, afirmou Jaime Marta Soares à agência Lusa.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses falava em Pedrógão Grande, no final de uma sessão extraordinária, promovida pela Comissão dos Direitos Humanos, Questões Sociais e Assuntos da Natureza da Ordem dos Advogados (CDHQSAN), conjuntamente com as suas congéneres dos Engenheiros e dos Arquitetos, para apresentar um conjunto de propostas direcionadas às vítimas da tragédia que afetou a região.

Marta Soares considerou “caricata” esta situação, visto que a ANPC “só comanda os bombeiros que são estruturas que pertencem à sociedade civil, às associações humanitárias e às câmaras municipais”.