Presidente francês estreita relações com o Canadá

Os líderes da França e do Canadá comprometeram-se em aproximar as suas agendas internacionais, a poucos dias de uma viagem de Macron aos Estados Unidos.

Fabrizio Bensch/REUTERS

O presidente de França, Emmanuel Macron, e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, comprometeram-se em Paris em promover em conjunto uma agenda internacional ambiciosa e uma “visão progressista” do mundo, onde cabem o multilateralismo, a luta contra as alterações climáticas, a promoção da inteligência artificial e uma maior igualdade entre géneros.

“Estamos empenhados em lutar juntos sobre os desafios comuns”, disse Macron, citado pelas agências internacionais, no quadro da primeira visita oficial a França do primeiro-ministro canadiano – a que se seguirá, dentro de pouco tempo, uma viagem do presidente francês ao Canadá.

Por seu turno, o chefe de governo canadiano disse-se em “total de alinhamento com Macron para enfrentar grandes desafios internacionais” através de uma “parceria positiva para o mundo“. “Compartilhamos uma visão ambiciosa do relacionamento franco-canadiano, graças ao qual podemos contribuir juntos para construir um mundo melhor”, acrescentou.

Esta terça-feira, Trudeau tornar-se-á o primeiro governante canadiano a discursar na Assembleia Nacional francesa – uma distinção que não está aberta a todos e que os observadores consideram ser sintoma inquestionável desse alinhamento de que ambos falam.

A calorosa receção do primeiro-ministro canadiano em França e as mensagens trocadas com Macron são uma espécie de lufada de ar fresco na carreira política de Justin Trudeau, que nos últimos tempos tem tido uma vida interna recheada de percalços. As tensões causadas pela expansão de um oleoduto entre a província de Alberta e o porto de Vancouver – com Trudeau a ter que mudar os planos – e a acusação de não fazer caso do Acordo de Paris sobre alterações climatéricas têm-lhe custado uma popularidade que parecia ser inquebrável até há alguns meses.

Entre as prioridades estabelecidas entre os dois países está o apoio a uma agenda comercial que seja “consistente com os nossos compromissos sociais, ambientais e de saúde”, disse Macron – possivelmente referindo-se ao Tratado de Livre Comércio entre a União Europeia e o Canadá, que entrou provisoriamente em vigor em outubro passado após anos de negociações e intensa oposição popular e que era em tudo semelhante ao tratado que os Estados Unidos, já com Donald Trump acabaram por não querer concluir.

O encontro entre os dois líderes surge numa altura em que Emmanuel Macron se prepara para voar para os Estados Unidos, onde, apesar dos desentendimentos surgidos esta segunda-feira, tem um encontro considerado muito importante com Donald Trump.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB