Preços na OCDE abrandam uma décima em dezembro para 2,3%

O “ligeiro abrandamento da taxa de inflação homóloga foi sobretudo motivado pelo comportamento dos preços da energia, que evoluíram a um ritmo mais lento em dezembro (6,2%) do que em novembro (7,8%)".

A taxa de inflação homóloga nos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) desceu uma décima em dezembro face a novembro, para 2,3%, devido ao abrandamento dos preços da energia.

De acordo com os dados divulgados hoje pela OCDE, este “ligeiro abrandamento da taxa de inflação homóloga foi sobretudo motivado pelo comportamento dos preços da energia, que evoluíram a um ritmo mais lento em dezembro (6,2%) do que em novembro (7,8%)”.

Já os preços da alimentação aceleraram dos 2,0% de novembro para 2,2% em dezembro.

Excluindo estas duas componentes mais voláteis (alimentação e energia), a taxa de inflação média nos países da OCDE acelerou “ligeiramente” de 1,8% em novembro para 1,9% em dezembro.

Segundo a OCDE, entre as sete maiores economias (G7) a inflação anual manteve-se nos 1,9% em dezembro e, na zona euro, a inflação abrandou para 1,4% (1,5% em novembro).

No conjunto da União Europeia, a inflação homóloga média situou-se nos 1,7%, abaixo dos 1,8% de novembro.

Em Portugal, a inflação homóloga de dezembro foi de 1,5%.




Mais notícias