Pilotos da Air Berlin param mais de 100 voos em “ato de desespero”

O protesto acontece depois de a Air Berlin ter recusado a oferta do empresário alemão Hans Rudolf Wöhrl, que se mostrou disposto a adquirir a empresa alemã por um valor até 500 milhões de euros.

A transportadora aérea alemã Air Berlin cancelou pelo menos 127 voos esta terça-feira depois de vários pilotos terem alegado motivos de doença para não comparecerem ao trabalho. Em causa está uma revolta dos pilotos contra a direção da empresa, que se declarou insolvente o mês passado e que esta segunda-feira suspendeu negociações com um potencial novo comprador da empresa.

Ao jornal alemão Bild, um dos pilotos em protesto lamenta o caos nos aeroportos que o protesto está a gerar e explica que este é “um ato de desespero”. “Lamentamos pelos passageiros, mas lutamos pela nossa existência”, explica.

O protesto acontece depois de a Air Berlin ter recusado a oferta do empresário alemão Hans Rudolf Wöhrl, que se mostrou disposto a adquirir a Air Berlin por um valor até 500 milhões de euros, permitindo a absorção de mais de 1.200 pilotos da companhia insolvente.

A Air Berlin, a segunda maior companhia aérea alemã, apresentou a 15 de agosto um pedido de insolvência, depois de a Etihad Airways, o seu principal acionista, ter retirado o seu financiamento da empresa, após anos de sucessivas perdas de capital. A situação levou as ações da companhia a afundarem mais de 34%, depois de comunicado que a Air Berlin “já não tinha um prognóstico positivo de continuidade”.



Mais notícias