Parlamento Europeu aprova mecanismo de integração de migrantes nas Regiões Ultraperiféricas

A eurodeputada do PS, Liliana Rodrigues, espera que este mecanismo possa ajudar todos os migrantes que cheguem às Regiões Ultraperiféricas e preste apoio em áreas como a educação, saúde, habitação, e mercado de trabalho.

A proposta da eurodeputada do PS, Liliana Rodrigues, que previa um mecanismo específico de financiamento para as Regiões Ultraperiféricas (RUP), que dê apoio à integração de migrantes, foi aprovado no Parlamento Europeu.

“Esta foi uma vitória importante para o Partido Socialista Europeu, que mostrou a importância que este mecanismo financeiro poderá ter nas regiões ultraperiféricas, como a Madeira, no apoio a quem chega fugindo de contextos de grave instabilidade política e económica em países terceiros”, explica Liliana Rodrigues.

A eurodeputada do PS tem a expectativa que este instrumento possa servir “para ajudar todos os migrantes que chegam às RUP” como sucede agora com os luso-venezuelanos na Madeira. A ideia passa por este mecanismo prestar “todo o apoio necessário” em áreas como a educação, a língua, os serviços de saúde, a habitação e na integração no mercado de trabalho.

“A Venezuela vive uma situação de urgência”, alerta. A eurodeputada diz que alguns países da América do Sul estão a desenvolver planos de emergência devido a este fluxo migratório. “Mas essa pressão também existe nos países da UE, nomeadamente em Portugal, Espanha e Itália”, destaca Liliana Rodrigues.

Liliana Rodrigues lamentou “não existir uma acção concertada” entre o Governo Regional e os seus políticos no Parlamento Europeu, rejeitando auxiliar, não só a Espanha e a Itália, mas também o seu próprio país e comprometendo “o desenvolvimento sustentável” da Madeira.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB