Overbooking é oportunidade de negócio? Para a United Airlines, sim

Quem comprar um bilhete num voo sobrelotado da United Airlines pode vê-lo vendido a outra pessoa por mais dinheiro. Mas a nova tecnologia da companhia norte-americana traz benefícios também para os passageiros.

Sem grande alarido, a United Airlines está a implementar uma nova plataforma tecnológica que será usada para gerir o problema dos voos sobrelotados, o chamado overbooking, ao mesmo tempo que transforma este problema numa oportunidade de negócio. O nome da plataforma é Flex-Schedule Program e o seu objetivo é o de acabar com o problema de ter de lidar com passageiros descontentes por terem de abandonar o voo devido à sobrelotação, ao mesmo tempo que pretende acabar com as indemnizações obrigatórias por lei. A solução? Comprar os bilhetes com antecedência – até cinco dias – o que permite à companhia revender o seu bilhete por uma maior margem de lucro.

Como é que tudo funciona?
Criada em parceria com a start-up de tecnologia de aviação Volantio, a United começará em breve a enviar e-mails aos seus passageiros com mensagens do tipo “Tem flexibilidade nas suas viagens para Los Angeles?”. Estas mensagens permitirão aos passageiros conseguir vantagens caso venham a alterar ligeiramente os seus planos de viagem e itinerários.

Ao aceitar estas vantagens não tem automaticamente que ceder o seu lugar no voo, mas se a companhia achar que o seu bilhete está a valorizar e pode ser revendido por mais dinheiro, oferece-lhe a oportunidade de alterar o seu itinerário em troca de um voucher de viagem que pode valer até 250 dólares. Pode ser-lhe pedido que troque de data ou de aeroporto (as preferências de lugar mantêm-se), sendo indicado claramente caso exista downgrade de categoria de bilhete. Caso aceite, as alterações acontecem em 24 horas.

Mais do que overbooking
Segundo Azim Barodawala, CEO da Volantio, afirma à Bloomberg, este novo programa da United pode ser uma oportunidade para alterar a imagem negativa que a companhia tem, utilizando para isso tecnologia inovadora: “Se podes oferecer a compra do bilhete de um passageiro antecipadamente, todos ficarão contentes”, afirma. “Para as companhias, este é um mecanismo de escape e uma forma de movimentar passageiros quando há poucos lugares, que também beneficia os passageiros, uma vez que estás a criar possibilidades de escolha. [Os passageiros] são muitas vezes prejudicados”, conclui Barodawala.

Mas para Dave Bartels, vice-presidente de gestão de preços e receitas da United, não acha que o Programa Flex-Schedule tenha “muito que ver com overbooking”. Certo de que haverá ocasiões em que o programa irá ajudar com esta situação, o gestor afirmou à Bloomberg que o principal objetivo é libertar um lugar valioso e oferecê-lo a alguém que precise mais dele. E a um preço mais elevado, claro, acrescentamos nós.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB