Novo Observatório promove conferência sobre prevenção do branqueamento de capitais

Direção integra Nuno Moraes Bastos, Miguel Trindade Rocha, Paulo Costa Martins, Pedro Lino, José Costa Pinto, João Medeiros e Rui Patrício.

Uma conferência de um dia inteiro sobre o tema da prevenção do branqueamento de capitais e da prevenção do terrorismo será a primeira iniciativa do recém-criado Observatório Português de Compliance e Regulatório. O evento terá lugar no dia 23 de maio, no auditório da Sociedade de Geografia de Lisboa, tendo como oradores várias figuras de relevo do mundo do Direito e do setor financeiro, disse ao Jornal Económico fonte oficial da organização. O Observatório foi formalmente constituído no mês passado e nasceu com o objetivo de promover o conhecimento e a valorização social das atividades de compliance e regulatório, procurando definir padrões de qualidade para o exercício profissional dessas áreas. Além da realização de conferências e outros eventos, a associação vai elaborar códigos de ética, recomendações e manuais de procedimentos, entre outras iniciativas previstas nos seus estatutos. A conferência terá lugar no dia 23 e vai contar com a participação de personalidades como Jean-Paul Duvivier (Diretor of Counter Terrorism Finance do Deutsche Bank) e Sasha Stojanovic (Senior Regulatory Analyst) da Zurich, e terá o apoio do Jornal Económico. A abertura do evento estará a cargo de Daniel Proença de Carvalho, sócio presidente da Uría Menéndez – Proença de Carvalho.

A composição dos órgãos sociais do Observatório Português de Compliance e Regulatório reflete essa intenção de ser uma instituição representativa dos especialistas no mundo da advocacia e no setor financeiro. A direção é presidida por Nuno Moraes Bastos (Chief Compliance Officer da Zurich) e tem como vice-presidente Miguel Trindade Rocha (partner da STINMA). Pedro Lino, presidente da DIF, deverá ser o tesoureiro, mas aguarda autorização do Banco de Portugal. Paulo Costa Martins, sócio da Cuatrecasas, é secretário da direção, enquanto José Costa Pinto (sócio da Costa Pinto Advogados), João Medeiros (sócio da PLMJ) e Rui Patrício (sócio da Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva) são vogais, mas o Jornal Económico sabe que a direção não está ainda fechada. A direção executiva é presidida por Miguel Trindade Rocha e composta ainda por Paulo Costa Martins e José Costa Pinto.

A mesa da assembleia-geral tem Paulo Câmara (managing partner da Sérvulo) como presidente, enquanto o conselho fiscal conta com Tito Arantes Fontes (sócio da Uría), Ricardo Reigada Pereira (RRP Advogados) e Joaquim Shearman de Macedo (CMS RPA).

Mais notícias