Médis mantém crescimento superior ao do mercado

Angariação de grandes clientes garante crescimento superior a 10%. Gestão da carteira da Ageas faz superar quota de 30% do mercado.

A companhia de seguros de saúde Médis deverá fechar este ano com um crescimento que quase duplica o do mercado, mantendo a tendência de evolução dos últimos anos. Para o futuro, quer manter o ritmo e está a investir na forma como aborda o mercado, recorrendo às novas tecnologias.

Em novembro de 2017, a companhia que integra o grupo da seguradora multinacional belga Ageas registou um crescimento de 18%, face a igual período do ano passado, enquanto o mercado português se expandiu a um ritmo de 10%. Esta evolução deve-se, em parte, à transferência da carteira da Ageas em Portugal para a Médis, o que representa um acréscimo de 26.235 pessoas seguras e 12 milhões de euros de prémios anuais, permitindo à companhia ultrapassar os 30% de quota de mercado.

O presidente-executivo da Médis, Eduardo Consiglieri Pedroso, diz ao Jornal Económico que, para análise da evolução do negócio, não têm em conta este valor.

“É um crescimento dentro do próprio grupo. É verdade que na conta de exploração da Medis tem reflexo, mas é uma transferência de uma carteira que estava dentro de uma empresa do grupo, que é a Ageas, para dentro da Medis”, explica.

Sem esta transferência de carteira, a Médis está a crescer ligeiramente acima do mercado – 10,5%, com um volume de prémios da ordem dos 197,5 milhões de euros, o que representa um desvio positivo de 4,8% face ao que estava orçamentado.

Esta, ainda assim, menor taxa de crescimento da Médis em 2017 é explicada pela transformação da PT ACS – associação de cuidados de saúde da PT Portugal, agora na órbita da Altice –, que passou de um subsistema de saúde para um seguro de saúde.

Mesmo neste contexto, a companhia liderada por Consiglieri Pedroso cresceu ligeiramente acima do mercado, beneficiando da conquista de grandes clientes, nomeadamente a Autoeuropa, num contrato que teve início em julho e representa 2 milhões de euros e 10.285 pessoas seguradas. A fábrica de Palmela do construtor automóvel alemão Volkswagen tornou-se o segundo maior cliente da Médis.

Investimento reforçado em TI

Na avaliação do desempenho este ano, regista-se um aumento dos custos administrativos, que nos primeiros oito meses do ano estavam a subir 12,7%, face a igual período de 2016, para 13 milhões de euros, o que traduz a aposta da companhia no desenvolvimento futuro – com o projeto Médis Next Level e maiores custos em tecnologias de informação.

A companhia tem investido, por exemplo, num conceito inovador de utilização da televisão como canal de distribuição, num projeto com a Vodafone TV. Através do comando da televisão, o consumidor pode pesquisar por especialistas na área da saúde, nas áreas próximas da residência, e receber contatos e mapas de localização para um plano de saúde. O seguro pode ser adquirido diretamente neste canal.

Artigo publicado na edição digital do Jornal Económico. Assine aqui para ter acesso aos nossos conteúdos em primeira mão.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB