“Maior crescimento desde a adesão ao Euro”: Costa reage a previsão do FMI

Se Portugal terminar o ano com a economia a crescer 2,5%, como prevê o FMI, esse será "o maior crescimento" do país "desde a adesão ao Euro", comentou o primeiro-ministro.

Reuters

“A verdade é que nós tivemos um 1.º trimestre” em que “crescemos 2,3%” e “temos um 2.º trimestre” em que “iremos crescer, seguramente, próximo dos 3%”, disse António Costa, durante uma visita a uma herdade no concelho de Ferreira do Alentejo, no distrito de Beja.

E o Fundo Monetário Internacional (FMI), destacou, “já veio hoje prever que podemos chegar ao final do ano com um crescimento de 2,5%, o que, se se vier a verificar, é o maior crescimento que o país teve desde a adesão de Portugal ao Euro”.

Marcelo Rebelo de Sousa também reagiu às previsões do FMI. “Quando hoje recebemos notícias como a que recebemos, vinda de uma instituição muito importante no plano internacional que se chama Fundo Monetário Internacional [FMI], de que a nossa economia está a crescer, vai crescer, vai diminuir ainda mais o desemprego, vai aumentar o emprego, vamos ter mais peso económico, financeiro, social, cá dentro e lá fora, isso se deve a um esforço como o vosso”, sustentou o Presidente da República na sua intervenção na 14.ª edição do Prémio Fundação Ilídio Pinho “Ciência na Escola”, que decorreu no Convento São Francisco, em Coimbra.





Mais notícias