Lufthansa assina acordo de compra com a Air Berlin. Ryanair contesta

A Lufthansa adquiriu 81 aviões dos 144 aviões de baixo custo da empresa insolvente e assume três mil dos seus 8.500 funcionários, o que está a levantar a ira da companhia irlandesa Ryanair que considera que esta operação viola as leis da concorrência.

A companhia aérea alemã Lufthansa formalizou esta quinta-feira a compra de grande parte da Air Berlin, que se declarou insolvente em agosto. A Lufthansa adquiriu 81 aviões dos 144 aviões de baixo custo da empresa insolvente e assume três mil dos seus 8.500 funcionários, o que está a levantar a ira da companhia irlandesa Ryanair que considera que esta operação viola as leis da concorrência.

“Hoje é um grande dia”, afirmou o presidente da Lufthansa, Carsten Spohr, ao início da manhã. A assinatura do acordo de compra foi feita às 12h00 locais (10h00 de Lisboa). O anúncio fez disparar as ações de ambas as empresas. As ações da Air Berlin dispararam 106,13% para os 0,336 euros, enquanto a Lufthansa consegue uma valorização de 3,16% para os 25,335 euros.

A venda está a provocar críticas da rival Ryanair, que acredita que esta operação de compra viola as regras da concorrência. A companhia low cost irlandesa já fez saber que vai levar o caso às autoridades alemãs e pedir a intervenção de Bruxelas. “Trata-se de impedir que a Ryaniar possa crescer na Alemanha, mas eles não vão nos impedir”, afirmou o diretor executivo da Ryanair, Michael O’Leary.

A Air Berlin, a segunda maior companhia aérea alemã, apresentou a 15 de agosto um pedido de insolvência, depois de a Etihad Airways, o seu principal acionista, ter retirado o seu financiamento da empresa, após anos de sucessivas perdas de capital. A situação levou as ações da companhia a afundarem mais de 34%, depois de comunicado que a Air Berlin “já não tinha um prognóstico positivo de continuidade”.



Mais notícias