Leilões de penhoras rendem 644 milhões de euros

Em média, os leilões eletrónicos realizados através da plataforma criada pelo Ministério da Justiça e desenvolvida pela Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução (OSAE) arrecadaram 27 milhões de euros por mês.

As penhoras dos tribunais já renderam mais de 644 milhões de euros em leilões eletrónicos em pouco mais de dois anos. Em média, os leilões eletrónicos realizados através da plataforma criada pelo Ministério da Justiça e desenvolvida pela Ordem dos Solicitadores e Agentes de Execução (OSAE) arrecadaram 27 milhões de euros por mês, avança o jornal “Correio da Manhã”.

Desde que a plataforma entrou em funcionamento, foram realizados 18.532 leilões de penhoras. Só este ano, até ao final de junho, foram leiloados bens (casas, terrenos, direitos ou bens móveis) no valor de 210 milhões de euros em 7.716 leilões. A expectativa é de que este ano seja ultrapassada a meta de 2017, em que se registaram 8.911 leilões, o que corresponde a uma média de 24 leilões por dia.

Até agora, a venda mais lucrativa foi uma quinta apalaçada em Colares, Sintra, que foi adquirida por 4,7 milhões de euros. “Já tivemos um jato privado, mas a aeronave acabou por não ser leiloada”, afirma o bastonário da OSAE, José Carlos Resende. “O desempenho da plataforma superou as nossas expectativas. Muitas vezes não só se cobre o valor em dívida como se gera lucro”.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB