Jesus sublinha que provas como a “Extreme” ampliam notoriedade da Madeira no exterior

O secretário regional da Economia, Turismo e Cultura disse ao fim da manhã de hoje no Funchal ser extremamente importante a concretização da 2.ª edição no Funchal dos "Fórmula 1 dos mares"  porque considera que vem confirmar a opção tomada no ano anterior no reforço que tem vindo a ser feito na economia do mar.

Eduardo Jesus falava na Gare Marítima da Madeira por ocasião da apresentação do Programa da 3.ª Etapa da Extreme Sailing Serie 2017, que decorrerá, na Região Autónoma da Madeira, entre os dias 29 de junho e 2 de julho.

O governante sublinhou que apesar da região contribuir fortemente, devida à sua localização, para a grande extensão da zona económica exclusiva do país considera que isso não chega e “é preciso atividade económica”.

Recordou que já há um forte contributo através do setor primário com o exemplo nacional e internacional da aquacultura, que ganha cada vez mais dimensão.

Mas referiu que a Madeira precisava reafirmar o turismo na área do mar. Disse que as provas desportivas Extreme Sailing entram de forma diferente para a economia do mar pelo intercâmbio com a comunidade local e também pela projeção que permite para o exterior, nomeadamente nos media.

Eduardo Jesus afirmou que a Madeira tem uma aposta clara na sua comunicação visando o cliente final no sentido do destino não ficar dependente de intermediários que fazem parte do negócio mas que “deixaram de ser o foco do nosso investimento na promoção”.

O secretário regional deixou bem claro que a Madeira quer reforçar a sua notoriedade para não depender dos eventos externos nem de manifestações geopolíticas que possam acontecer. Na prática, deixar que a Madeira “seja realmente conhecida pelas razões melhores que aqui acontecem, e onde a Extreme deixa um grande contributo”.

O evento deste ano vai beneficiar de alterações que vão permitir um maior envolvimento da população assim como será mais prolongado no tempo.