ISQ integra consórcio aeronáutico com projeto de 5,5 milhões de euros

Em entrevista ao Jornal Económico, Margarida Pinto, responsável pela área de I&D – Investigação & Desenvolvimento do Grupo ISQ – Instituto de Soldadura e Qualidade, explica a relevância do novo projeto PASSARO, com participação de várias entidades nacionais e prevê que irá haver outros semelhantes no futuro.

Qual a relevância do projeto PASSARO, de que o ISQ é um dos líderes, e que vai ser apresentado publicamente pela primeira vez em Portugal?
O projeto PASSARO é um projeto de Investigação & Desenvolvimento (I&D) contratualizado com o Programa Europeu Clean Sky 2 (CS2) e que se iniciou em julho de 2016 com uma duração de quatro anos. A primeira apresentação pública em Portugal do projeto  será feita no dia 27 [hoje] no AED Days 2016, no Instituto Nacional de Defesa, em Lisboa.

O que é o programa European Clear Sky 2?
O Programa Europeu  Clean Sky 2 é uma Parceria Publico-Privada entre a Comissão Europeia e as principais empresas europeias do setor aeronáutico e que gere 3,6 mil milhões de euros para a investigação, desenvolvimento e inovação no setor aeronáutico europeu.

Qual vai ser o orçamento do projecto PASSARO?
O projeto PASSARO tem uma duração de quatro anos e um orçamento de 5,5 milhões de euros.

Qual é o financiamento público e privado?
O financiamento do projeto PASSARO pelo CS2 de 4,5 milhões de euros. O diferencial corresponde à co-participação das empresas do consórcio do PASSARO de acordo com as regras do Programa e da própria Comissão Europeia.

Quais poderão ser as mais -valias deste projeto para a indústria do setor AED e para a economia nacional?
A participação de Portugal neste projeto é determinante na consolidação do Cluster Aeronáutico Português na promoção e visibilidade das suas capacidades e excelência tecnológica na cadeia de fornecedores a nível internacional particularmente considerando que o líder direto do projeto é a ADS (Airbus Defence and Space) em Espanha.
Adicionalmente, a participação do PASSARO como Core Partner do CS2 na ITD Airframe (Integrated Technology Demonstrator, vertente de aero-estruturas do Clean Sky 2) permite contribuir diretamente para as orientações estratégicas e decisões para a investigação e desenvolvimento com interesse ibérico no Programa Clean Sky 2.

Qual poderá ser a importância deste projeto PASSARO no âmbito do Clean Sky 2?
Os resultados do projeto PASSARO vai contribuir para os objetivos do programa de trabalhos do CS2 (“Macroprojeto”) e sua integração nos demonstradores previstos,  na vertente transversal das tecnologias aplicadas às aeroestruturas designada de ITD Airframe. No caso do PASSARO, este contribuirá para demonstradores como um ‘cockpit’ e uma asa, na área dos novos materiais resistentes ao impacto e ruído bem como nos processos de produção baseados na industria 4.0.

Que outros projetos estão ou poderão vir a ser candidatados por parte do cluster nacional AED a este projeto PASSARO?
Para que possa responder a esta questão gostaria de explicar a origem do projeto PASSARO (não Programa) e do seu consórcio. O consórcio do projeto PASSARO nasceu de um acordo, assinado em Janeiro de 2014, entre empresas e organismos do sistema científico e tecnológico portuguesas, com atividade no sector aeronáutico, e que foi apoiado pela AICEP, designado de Aerocluster Portugal.

Qual o objectivo desse ‘aerocluster’?
O objetivo desta associação de empresas é realmente promover as competências e excelência destas entidades através da participação em projetos de IDI (Investigação, Desenvolvimento e Inovação), e consolidar e criar novas oportunidades como fornecedores de excelência na cadeia europeia para o setor aeronáutico. É ainda de referir a confiança dada pelas CCDR nacionais (Norte, Centro e LVT) à candidatura do projeto PASSARO ao Programa CS2 e sua aposta no setor aeronáutico, conferindo a credibilidade aos objetivos do projeto e à competência do consórcio.

Que empresas fazem parte desse ‘cluster’?
Active Space Technologies, Aertec,  Almadesign, Caetano Aeronautic, CEIIA, Critical Group, Edisoft, GMV, ISQ, INEGI, Optimal, Spin.works, Tekever.

E vai haver continuidade em relação a este projeto?
É, desta forma, expectável darmos continuidade, não só aos resultados deste projeto PASSARO, bem como dinamizarmos outros projetos no CS2 ou noutros Programas Europeus ou nacionais. Neste último caso, o acordo que será assinado entre o estado Português e o CS2 irá promover as oportunidades de financiamento nacionais, que possam permitir dar continuidade à excelência do setor nacional e principalmente fazê-lo crescer e diferenciar-se no contexto internacional.



Mais notícias