Isaltino Morais: “Fui condenado sem qualquer prova”

Ex-autarca aproveitou a entrevista para elogiar o trabalho de Marcelo Rebelo de Sousa e do Governo de António Costa, deixando as críticas para o líder do PSD, Pedro Passos Coelho.

Isaltino Morais falou da sua passagem de 14 meses na prisão por fraude fiscal e branqueamento de capitais em entrevista ao site Vozes ao Minuto. “Não há respeito pelos cidadãos dentro das prisões. Ninguém tem noção o que é o tratamento dentro de uma prisão”, confessou Isaltino, explicando que “a prisão é a face mais negra do Estado. Todos os dias temos de dizer a nós próprios quem somos para não perdermos a identidade.”

O ex-autarca questionou a justiça portuguesa, afirmando que a mesma tem de “ter factos, provas e culpa. Infelizmente em Portugal não é assim” e, quanto ao seu caso, “a verdade é que nada se provou, fui condenado sem qualquer prova”.

O antigo presidente da Câmara de Oeiras não poupou criticas a Pedro Passos Coelho e à gestão do seu mandato, mas fez questão de elogiar Marcelo Rebelo de Sousa e o Executivo de Costa.

Em relação a Marcelo, “ultrapassou todas as expetativas” e teve um “contributo extraordinário para acalmar a crispação política que havia em Portugal, disse Isaltino.

Quanto à ‘geringonça’, defende que António Costa “está a demonstrar que havia alternativas à sangria que se estava a fazer à classe média [no Governo de Passos Coelho]” e acredita que, “em 2019 o PS poderá ganhar as eleições com maioria absoluta”, caso mantenha a execução prevista, referindo em particular “o Plano de Estabilidade e Crescimento apresentado agora e em que se propõe um nível de crescimento que pode chegar aos 2%”.

 

 

Mais notícias
PUB
PUB
PUB