Investor Confidence Project como norma universal para a eficiência Energética

O Green Business Certification Inc. e o Environmental Defense Fund estabelecem o Investor Confidence Project como norma universal para a eficiência energética.

O Green Business Certification Inc. (GBCI) e o Environmental Defense Fund (EDF) anunciaram na quarta-feira uma visão estratégica conjunta no desenvolvimento, distribuição e promoção do Investor Confidence Project (ICP) da EDF como o standard mais relevante no desenvolvimento de projetos de eficiência energética.

O ICP passa assim a integrar o portefólio de credenciações e certificações do GBCI, e ambas as organizações vão colaborar na dinamização de investimentos em eficiência energética.

O anúncio vem na sequência do rápido crescimento da adoção do sistema ICP, incluindo a sua certificação de projetos Investor-Ready Energy Efficiency™ (IREE), no setor dos edifícios por programa e projetos pilotos de sucesso nos Estados Unidos e na Europa.

Investimento na eficiência energética é uma  poderosa alavanca para a transformação do edificado

Segundo Mahesh Ramanujam, presidente do GBCI, e COO do U.S. Green Building Council (USGBC), os investimentos na eficiência energética são uma das mais poderosas alavancas para a transformação do edificado existente. “O GBCI e o EDF asseguram que esses investimentos produzem resultados positivos em termos ambientais e financeiros,” refere.

O ICP auxilia na transformação do mercado da eficiência energética através do aumento da confiança na performance financeira e ambiental dos projetos de reabilitação energética em edifícios. O ICP disponibiliza aos investidores e projetistas um roteiro standardizado para avaliação do risco e cumprimento dos resultados do projeto, otimizando o desempenho e monitorizando os resultados dos investimentos em eficiência energética para que estes gerarem economias financeiras reais. Ao facilitar as transações e ao aumentar a confiança nas estimativas de economias de energia, através da certificação IREE, o ICP reduz custos gerais levando os projetos de eficiência energética para o mercado.

Andy Darrell, diretor de Estratégica, Energia e Financiamento, do Environmental Defense Fund, revela que os edifícios são responsáveis pelo consumo de 40 por cento de toda a energia consumida e, em cidades de maior dimensão como Nova Iorque ou Londres, esse número chega a duplicar. “O impressionante é que, quase metade dessa energia e desperdiçada”, admite.

Mais notícias