Impresa dispara mais de 3% depois da venda de revistas a Luís Delgado

O grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão fechou negócio com a Trust in News para a venda de revistas, como a 'Visão' e a 'Caras', por 10,2 milhões de euros, um preço de venda acima das expectativas dos analistas.

Foto cedida

Os títulos da Impresa dispararam esta quarta-feira mais de 3%, depois de a empresa ter comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) a venda do negócio de revistas à Trust in News por 10,2 milhões de euros, um preço de venda acima das expectativas dos analistas.

Em comunicado divulgado esta terça-feira, a Impresa confirmou ter concluído a venda das revistas “Activa”, “Caras”, “Caras Decoração”, “Courrier Internacional”, “Exame”, “Exame Informática”, “Jornal de Letras”, “TeleNovelas”, “TV Mais”, “Visão”, “Visão História” e “Visão Junior” à Trust in News, uma empresa detida por Luís Delgado.

Os trabalhadores das revistas em causa, incluindo jornalistas e comerciais, “integrarão o novo grupo editorial”.

“Esta alienação foi realizada no âmbito do Plano Estratégico para o triénio 2017-2019, tendo em conta o reposicionamento da atividade da Impresa, que passa a ter um enfoque primordialmente nas componentes do audiovisual e do digital, sem nunca deixar de apostar na versão impressa do Expresso, o jornal com maior circulação em Portugal”, lê-se na nota divulgada.

Os analistas do BPI indicam que estas são “notícias muito positivas com um preço de venda muito acima das expectativas”. “O portefólio de ativos que foi vendido registou prejuízos nos últimos anos pelo que parece surpreendente o valor a que a Impresa os conseguiu vender”, sustentam.

A reagir a esta notícia, a Impresa negocia a somar 3,27% para os 0,363 euros.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB