Hotelaria na Madeira recordista em 2016 e hóspedes cresceram mais de 12%

As dormidas na Região Autónoma da Madeira cresceram 9,8% em 2016.

Superaram as 7,3 milhões de dormidas. Os proveitos totais e de aposento acompanharam este crescimento de 16,2% e de 17,4%, respetivamente, em comparação com 2015. Os proveitos totais ascenderam aos 376,1 milhões de euros e os proveitos de aposento e 241,1 milhões de euros. Estas três componentes da hotelaria madeirense, além de evidenciarem uma subida no ano passado têm a particularidade de constituírem um novo máximo histórico nestas variáveis.

O número de hóspedes em 2016 atingiu os 1.153.245 turistas, a representar mais 12,1 pontos percentuais que no ano anterior.

Os indicadores preliminares do total do ano passado colocam o Reino Unido como principal mercado, com aproximadamente 1,9 milhões de dormidas (mais 12,5% face ao ano anterior). Seguiu-se a Alemanha, com cerca de 1,8 milhões de dormidas (mais 12,8% que em 2015), e o mercado nacional foi o terceiro mais importante com um incremento de 15,0% em 2016, tendo o número de dormidas rondado as 787,5 mil.

Os turistas residentes em França representaram cerca de 629,3 mil dormidas no destino, apresentando uma redução de 5,5% face ao ano anterior.

A taxa de ocupação-cama anual rondou os 69,4%, mais 5,1 pontos percentuais que em 2015.

A estada média nos estabelecimentos hoteleiros da RAM passou de 5,5 noites em 2015 para 5,4 noites em 2016.

A média anual do RevPAR foi de 47,83€, que traduz +15,9% em relação a 2015.

Crescimentos também em dezembro

Em relação ao mês de dezembro, as estatísticas divulgadas hoje revelam que as primeiras estimativas apontam para acréscimos nos principais indicadores da hotelaria, com variações homólogas de mais 9,4% nas dormidas, mais 11,6% nos proveitos totais e mais 14,9% nos proveitos de aposento. A nível nacional, pela mesma ordem, os crescimentos observados nestas variáveis foram de 11,0%, 15,1% e 16,1%.

O número de hóspedes em dezembro atingiu os 67.183 turistas, a representar mais 9,1 pontos percentuais que em período homólogo de 2016.

Nos mercados tradicionais, assinala-se o incremento das dormidas de turistas alemães e britânicos (variações de mais 16,7% e mais 12,7% face a dezembro de 2015, respetivamente), enquanto o mercado francês registou uma redução de 18,4%. O mercado nacional apresentou um aumento de 2,5%.

Neste mês há ainda a salientar o crescimento homólogo do rendimento médio por quarto (RevPAR) em 12,6%, para 36,27 euros.

A taxa de ocupação-cama em dezembro de 2016 fixou-se em 48,9%, o valor mais alto nas 7 regiões NUTS II do país.

PUB
PUB
PUB