Heritage Wines prevê duplicar vendas até 2022

Empresa detida a 100% pela The Fladgate Partnership distribui em exclusivo os vinhos do Porto da Taylor’s, Croft e Fonseca, além de vinhos de mesa Crasto (Douro) e da Herdade do Mouchão (Alentejo).

A Heritage Wines é uma distribuidora de vinhos para o mercado nacional que se foca nos vinhos premium e super premium, vendendo cada garrafa de vinho a um preço médio que oscila entre os cinco e os seis euros. No ano passado, atingiu um volume de vendas de cerca de 6,6 milhões de euros, o que representou um crescimento de cerca de 10% face ao ano anterior, ou seja, cerca de mais 1,1 milhão de garrafas vendidas.

Em entrevista ao Jornal Económico, Luís Sequeira, diretor-geral da Heritage Wines, estima que “a nossa quota de mercado no segmento premium e super premium seja superior a 20%”, mas é ambicioso em relação ao futuro: “esperamos um crescimento de quota de mercado para 40%”.

“Prevemos que nos próximos cinco ou seis anos, possamos voltar a dobrar a faturação. Há espaço para isso. Estimamos que o mercado vá crescer ele próprio, mas não tanto como a Heritage Wines”, acredita Luís Sequeira.
“Chegámos ao final do ano com uma quota de mercado de cerca de 25% no segmento de super premium, de acordo com os dados da consultora Nielsen. Este segmento teve uma expressão de cerca de cinco milhões de garrafas vendidas no ano passado em Portugal. Estamos a falar de vinhos ou espumantes topo de gama, reservas especiais ou antigos”, esclarece o diretor-geral da Heritage Wines.

Luís Sequeira destaca que “no espaço de cinco anos, quase dobrámos a nossa facturação”. “Prestamos um serviço superior e também temos beneficiado da alteração do panorama HORECA [hotelaria, restauração, cafetaria] para níveis qualitativos muito elevados. Temos tido esse vento a favor. Estamos muito optimistas quanto ao futuro e também estamos a beneficiar do facto de não temos tido rotação de quadros. Temos uma perspetiva de longo prazo”, assumiu este responsável.

A Heritage Wines vende em Portugal os vinhos do Porto da Taylor’s, Croft e Fonseca, além dos vinhos de mesa do Douro, Crasto, e do Alentejo, Herdade do Mouchão, e os espumantes Vértice, do Douro. A distribuidora representa também em exclusivo para o nosso país o champanhe Bollinger. As vendas da Heritage concretizam-se em 70% no canal HORECA, ficando os restantes 30% a cargo das redes de distribuição moderna – Auchan, Sonae, El Corte Inglés, Intermarché e Makro. E há ainda as lojas de aeroportos, já muito relevantes no mix de vendas desta distribuidora. A equipa da Heritage trabalha regularmente com cerca de 300 restaurantes de topo em Portugal.
Alistair Robertson e Adrian Bridge são, respectivamente, presidente e CEO da The Fladgate Partnership que detém a 100% a Heritage Wines, que é uma sociedade por quotas.

“A Heritage Wines tem oito anos de existência e o seu aparecimento é resultado de um conhecimento bastante vasto do mercado nacional. Nasce sobretudo de um objetivo de melhores práticas de distribuição. Mas só tínhamos esta noção em teoria. Apostámos mais na filigrana e não queremos a massificação”, explica Luís Sequeira.
No entender deste responsável, “temos a perfeita noção de que temos de ter uma estratégia diferente para este segmento, que é muito difícil: estamos a falar de um consumidor conhecedor, exigente, que não aceita respostas simples e banais”. Para responder a esse desafio, a Heritage Wines montou uma equipa assente em seis pessoas no terreno, que procede a uma investigação permanente.

“O nosso grande desafio é, em cada dia, saber como é que vamos conseguir prestar este serviço ainda melhor ao consumidor. Temos tido um crescimento progressivo e regular e isso deve-se à preferência do consumidor. Trabalhamos em contínuo com mais de 1300 restaurantes em Portugal”, sublinha o diretor-geral da Heritage Wines.

A distribuidora atua essencialmente nas regiões de Lisboa, Porto e Algarve. “A nossa empresa não tem campanhas ou promoções. A nossa experiência é ter uma estratégia de nicho, que tem uma prática consentânea com a questão de termos um preço médio de seis euros por garrafa. Ganhámos e temos de continuar a ganhar todos os dias a confiança dos nossos clientes e parceiros de negócio, que confiam em nós. Temos orgulho nisso, que só se ganha com anos de trabalho. A confiança é o valor que para nós é o mais importante. E, por isso, temos tido resultados bastante satisfatórios”, defende Luís Sequeira.
Com o crescimento do turismo e da apetência pelo vinho do Porto, também com o crescimento da distribuição moderna, existe um potencial muito grande para explorar, resume Luís Sequeira, adiantando que “o mercado está a crescer e ansioso por novas respostas”. “Queremos ser capazes de dar essas respostas, para os consumidores quando se libertam da tirania do dia-a-dia. São mudanças que estão a ocorrer permanentemente em Portugal. A restauração e a hotelaria também são grandes pontos de venda dos vinhos premium em Portugal porque eles também gostam do que fazem”, observa o diretor-geral da Heritage Wines. As vendas da distribuidora são mais significativas em vinhos de categorias superiores, “porque os vinhos do Porto standard tem uma representação inferior a 1% nas nossas vendas”.

“O nosso lema é promover a descoberta dos grandes vinhos. O que nos move é fazer com que o consumidor descubra grandes vinhos. Não perdemos essa ligação com o terreno. Nunca nos satisfazemos com o sucesso, isso não nos satisfaz. Há muito que fazer ainda. Estamos longe de pensarmos que chegámos a um patamar de velocidade de cruzeiro. E isso é entusiasmante”, conclui Luís Sequeira. Por isso, o alargamento do portefólio não é uma prioridade, embora possa ser uma realidade…



Mais notícias