“Guerra total” contra Pyongyang? Coreia do Sul vai responder a Kim Jong Un

Ministério da Defesa da Coreia do Sul informou o presidente sobre um "plano agressivo de ação em tempo de guerra liderado pelos militares".

Ahn Young-joon/REUTERS

O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae In, está a preparar uma resposta contra a Coreia do Norte que inclui um reforço da indústria de defesa e não fecha a porta a uma “guerra total”.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul informou o presidente sobre um “plano agressivo de ação em tempo de guerra liderado pelos militares”, segundo fontes de Cheong Wa Dae, o equivalente sul-coreano da Casa Branca, citado pelo Business Insider.

O presidente da Coreia do Sul pretende uma resposta rápida ao regime de Kim Jong Un, após os testes de mísseis, noticiou o jornal coreano Chosun Ilbo.

O novo plano da Coreia do Sul inclui a identificação de mais de mil alvos individuais para os mísseis de precisão e os locais para os marines caírem. O avanço do plano, descrito pelo jornal coreano, em relação ao plano atual versa sobretudo pela não dependência do apoio de porta-aviões dos EUA. 

Mas o objetivo de levar vantagem sobre a Coreia do Norte dependerá de reformar o processo de aquisição de defesa e diminuir gastos para exercer o poder total do domínio económico da Coreia do Sul contra Pyongyang. 





Mais notícias