Grécia: Parlamento aprova mais austeridade para desbloquear ajuda externa

As medidas aprofundam a austeridade, pelo menos até 2020, na esperança de que na segunda-feira o Eurogrupo anuncie detalhes sobre a renegociação da dívida do país.

O Parlamento grego aprovou um corte nas pensões e uma subida nos impostos, que tinham sido pedidos pelos credores como condição para atribuir ao país mais financiamento. A votação aconteceu enquanto manifestantes protestavam à porta do Parlamento contra as medidas de austeridade, segundo noticia a agência Reuters.

As medidas aprofundam, assim, a austeridade no país, pelo menos até 2020, sendo que um alívio dos impostos poderá ser possível se a Grécia cumprir as metas orçamentais, de acordo com as propostas aprovadas.

O governo liderado por Alexis Tsipras espera que as medidas sejam suficientes para que os credores desbloqueiam a tranche de 7,5 mil milhões de euros. “Merecemos e esperamos que o Eurogrupo decida, na segunda-feira, uma solução de alívio da dívida que corresponda aos sacrifícios do povo grego”, disse o primeiro-ministro.

No início do mês, o governo tinha já chegado a um acordo preliminar com a Comissão Europeia, a União Europeia (UE) e o FMI sobre a renegociação da dívida do país, mas os detalhes não são ainda conhecidos, o que poderá acontecer depois da reunião dos ministros das Finanças da zona euro, em Bruxelas, na segunda-feira.

A Grécia já recebeu 260 mil milhões de euros em ajuda externa desde 2010. No entanto, o financiamento obrigou o país a adotar reformas e a cortar na despesa pública, levando a economia pública para um estado de recessão. A dívida do país está agora em 179% do PIB.