França quer promoção de prosperidade na UE para garantir contenção do euroceticismo

O ministro das Finanças francês defende a necessidade de se promover a prosperidade económica e uma melhor integração de todos os Estados-membros da União Europeia para diminuir a contestação social e a força crescente dos movimentos populistas."Precisamos de estabilidade financeira porque enfrentamos

O ministro das Finanças de França, Bruno Le Maire, defende que a Zona Euro deve aproveitar os dois anos que faltam para as eleições parlamentares europeias para criar uma política de integração fiscal mais profunda e pensar em medidas de melhor captação ao investimento estrangeiro no bloco europeu. Bruno Le Maire acredita que só assim a União Europeia (UE) conseguirá silenciar os partidos eurocéticos e evitar uma revolta populista.

“A França tem uma mensagem específica para enviar”, começou por dizer o ministro francês em entrevista ao jornal britânico ‘Financial Times’. “A França escolheu Emmanuel Macron contra [a candidata de extrema-direita] Marine Le Pen [nas eleições presidenciais de maio], mas os extremos ainda estão em emboscada. Ou a zona deixa de ser uma união monetária imperfeita para passar a ser o garante de uma verdadeira economia europeia, ou pode vir a desaparecer”.

Bruno Le Maire afirma que é preciso promover a prosperidade económica e uma melhor integração de todos os Estados-membros, o que significará também – sublinha – uma melhoria substancial das condições de vida dos cidadãos e, consequentemente, uma diminuição da contestação social e a perda de força de muitos movimentos populistas.

“Precisamos de estabilidade financeira porque enfrentamos um número crescente de crises económicas. No passado, costumava afetar alguns países e ocorrer em grandes intervalos. Agora, afeta muitos países e regularmente”, sustenta Bruno Le Maire. “A minha intenção é que estamos a viver um momento histórico [com a saída do Reino Unido da União Europeia e o aumento do euroceticismo] e temos de saber aproveitá-lo da melhor maneira”.

O ministro francês lembra que a vitória do centrista pró-Europa Emmanuel Macron nas presidenciais francesa veio dar uma nova oportunidade para o país combater o populismo no país e na UE. Depois das eleições gerais na Alemanha, convocadas para 24 de setembro, o ministro da segunda maior economia da UE quer discutir com o futuro chanceler do país, líder da maior economia europeia, novas metas urgentes para o bloco europeu.

“Temos uma pequena janela de oportunidade, não um terraço, nem uma cobertura”, lembra Bruno Le Maire. “Cerca de 18 a 24 meses”, antes da realização de novas eleições para o Parlamento Europeu.



Mais notícias