Exportações de vestuário cresceram 2,2% nos primeiros cinco meses do ano

As exportações superaram os 1.330 milhões de euros entre janeiro e maio deste ano. Entre os principais mercados, Itália, Países Baixos e Dinamarca foram os principais impulsionadores das vendas ao exterior.

Nos primeiros cinco meses do ano, as exportações de vestuário superaram os 1.330 milhões de euros, um crescimento de 2,2% face ao mesmo período do ano passado.

Entre os principais mercados, Itália, Países Baixos e Dinamarca foram os principais impulsionadores das vendas ao exterior.

Segundo os dados divulgados pela ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confeção, entre janeiro e maio, as exportações portuguesas de vestuário aceleraram e cresceram 2,2% em comparação com o mesmo período do ano passado, registando um valor de 1.336,23 milhões de euros.

“As exportações extra-UE registaram um aumento superior ao das intracomunitárias (+3,7% em comparação com 2,1%), suportado pela subida dos envios de vestuário ‘made in Portugal’ para os EUA (+6%)”, realça um comunicado da ANIVEC.

Por seu turno, nos mercados intracomunitários, destaca-se a continuação de um crescimento acentuado nas exportações para Itália (+58,8%), para os Países Baixos (+18,8%) e para a Dinamarca (+18,8%).

“De registar ainda o aumento das compras de vestuário de países como França (+5,4%), Suíça (+54,2%) e Bélgica (+6,2%)”, acrescenta o comunicado da ANIVEC.

“Portugal continua a marcar pontos nos mercados internacionais onde a qualidade e o ‘design’ é mais valorizado, nomeadamente Itália, mas também em França, nos Países Baixos e nos EUA. Isso demonstra que o ‘know-how’ nacional – com tudo o que lhe está associado, do ‘design’ ao serviço – soube impor-se nos últimos anos e as empresas portuguesas estão agora a colher os frutos dessa aposta», considera César Araújo, presidente da direção da ANIVEC.

 




Mais notícias
PUB
PUB
PUB