Europa tem mais de 900 biliões de euros em crédito malparado

Portugal tem atualmente, em termos absolutos, 34,2 biliões de euros em dívidas incobráveis, segundo dados do Banco Central Europeu.

Os bancos europeus têm atualmente 944 biliões de euros em crédito malparado, um problema que teima em não desaparecer e que deverá avolumar-se, prejudicando as contas da banca, noticia a Bloomberg.

A agência de informação económica e financeira diz que as autoridades europeias já fizeram saber que querem encontrar uma solução, mas investidores e instituições bancárias têm posições distintas quanto à forma de estimular os credores a vender ou liquidar créditos não cumpridos.

O problema está, segundo a Bloomberg, nos países mais atingidos pela crise da dívida soberana, sendo que Grécia e Itália são apontados como os casos “particularmente agudos”, pela sua situação política. A Grécia ainda está sob um programa de resgate e lidera a lista de empréstimos em incumprimento, enquanto a Itália tem as maiores dívidas incobráveis em termos absoluto.

Em Itália, o setor bancário já estabeleceu metas para diminuir os níveis de crédito malparado estimulando a venda de “carteiras” e a liquidação de empréstimos. O maior banco do país, em valor de mercado, o Intensa Sanpaolo, planeia acelerar a redução de empréstimos cujos pagamento não estão a ser cumpridos.

A Itália acumulou “malparado” durante anos de pouco ou nenhum crescimento económico, segundo a Bloomberg, sendo que o problema foi agravado pelo sistema jurídico do país, onde os credores demoram mais tempo para liquidar garantias do que outros países europeus. A Itália reviu as regras de falência em outubro de 2017 a pensar, precisamente, na redução do crédito malparado.

De acordo com dados do Banco Central Europeu (BCE) os países com maiores dívidas incobráveis em termos absoluto: Itália (224,2 biliões); França (142,2 biliões); Espanha (131,4 biliões); Grécia (112,3 biliões); Reino Unido (67 biliões); Alemanha (58,4 biliões); Holanda (43,8 biliões); Portugal (34,2 biliões); Irlanda (26 biliões); Chipre (19,5 biliões).

Desde 2014, os bancos europeus já reduziram o crédito malparado em mais de 280 biliões de euros. O BCE, que supervisiona a maioria dos credores da Europa, defende que créditos inadimplentes são “um grande problema” e que só deve ser usado quando há crescimento.






Mais notícias