EUA: Regulador investiga suposta manipulação do índice VIX

O Chicago Board Options Exchange Volatility Index, é a medida oficial da volatilidade implícita das opções sobre o índice S&P 500. O regulador está a investigar se os traders fizeram apostas com as opções do S&P 500 para influenciar os preços dos futuros de VIX, diz a Reuters que cita o WSJ.

A trader works on the floor of the New York Stock Exchange (NYSE) shortly after the opening bell in New York, U.S., January 5, 2017. REUTERS/Lucas Jackson
 A Autoridade Regulatória da Indústria Financeira dos Estados Unidos (Finra, na sigla em inglês) está a investigar se preços relacionados com Índice de Volatilidade Cboe, conhecido como VIX, foram manipulados, de acordo com a Reuters que remete para uma notícia do Wall Street Journal que cita fontes com conhecimento do assunto.
O VIX é o índice que mede a volatilidade de Wall Street, e na passada segunda-feira dia 5, conhecida como segunda-feira negra, o Vix, disparou mais de 100% para o valor mais alto desde 2015.

O Chicago Board Options Exchange Volatility Index, é a medida oficial da volatilidade implícita das opções sobre o índice S&P 500. O regulador está a investigar se os traders fizeram apostas com as opções do S&P 500 para influenciar os preços dos futuros de VIX, segundo as fontes.Na segunda-feira, uma denúncia instou os reguladores dos EUA a investigar a manipulação do VIX, alegando que isso custou a investidores centenas de milhões de dólares em perdas mensais.

Na semana passada, o ressurgimento da volatilidade do mercado desencadeou um pico no VIX e o colapso de um ETP (sigla em inglês para Exchange Traded Products ou produtos negociados em bolsa) que compra e vende futuros de VIX. O colapso do ETP fez com que as ações da Cboe caíssem 18% nos quatro dias seguintes, diz a Dow Jones Newswires.

O VIX foi projetado para acompanhar a ansiedade dos investidores e tende a mover-se na direção oposta do S&P 500. Investidores adquirem futuros e opções de VIX para se protegerem contra quedas nas ações.

 




Mais notícias
notícia anterior
notícia seguinte