Estudante norte-americano que foi libertado pela Coreia do Norte morreu

Warmbier foi condenado a 15 anos de trabalho forçado por tentar roubar um sinal de propaganda de um hotel e acabou em coma.

KCNA/via Reuters

O estudante americano que foi libertado na semana passada depois de ter sido mantido em cativeiro por mais de 15 meses na Coreia do Norte, morreu, diz a sua família à BBC.
Otto Warmbier, de 22 anos, voltou aos Estados Unidos na última terça-feira, mas alegadamente esteve em coma durante um ano.
A Coreia do Norte disse que o estudante foi vítima de botulismo (uma forma de intoxicação alimentar rara mas potencialmente fatal) e isso e um comprimido para dormir provocaram o estado de coma, mas os médicos dos EUA duvidam dessa tese.
Warmbier foi condenado a 15 anos de trabalho forçado por tentar roubar um sinal de propaganda de um hotel e acabou em coma.
“É nosso triste dever informar que nosso filho, Otto Warmbier, morreu hoje às 2:20 da tarde”, lê-se numa declaração da família citada pela BBC.
Ao regressar a casa Otto Warmbier mostrou-se “incapaz de falar, incapaz de ver e incapaz de reagir aos comandos verbais”. A família nunca mais ouviu a sua voz mas diz que o sentia muito desconfortável – quase angustiado.

Os pais de Otto Warmbier disseram que durante 15 meses não tiveram notícias do filho. A família só descobriu a sua situação clínica nos dias que antecederam o regresso.



Mais notícias