Estes são os carros mais fiáveis da Europa

Tal como acontece todos os anos, a Dekra lançou o seu Relatório de Fiabilidade. A grande vencedora é a Audi, que venceu em três categorias e viu o A6 ser eleito o mais fiável da Europa.

Na aquisição de um modelo novo (ou usado), a fiabilidade é um fator-chave na decisão final. Para dar aos consumidores ferramentas para decidir de forma informada, a Dekra publica anualmente o seu Relatório de Fiabilidade, um estudo que analisa, segmento a segmento, um universo de 15 milhões de veículos usados na Europa.

Os critérios de avaliação implicam a análise a pelo menos 1000 unidades de cada modelo. Ao invés de atentar na idade dos modelos, a Dekra centra-se na quilometragem, avaliando trê patamares: 0-50.000 km; 50.000-100.000 km; e 100.000-150.000 km. As áreas em análise são cinco: carroçaria; motor e ambiente; interior; sistema de travagem e sistema eletrónico e iluminação.

Tal como aconteceu no ano passado, o Audi A6 foi eleito o modelo mais fiável da Europa, com 94,6% dos veículos analisados sem qualquer problema detetado. O modelo que triunfa entre as berlinas de gama alta poderia, no entanto, ter melhor pontuação, não fossem os resultados menos bons obtidos no que respeita a danos no para-brisas. A marca alemã, aliás, foi a melhor em duas outras categorias. O Audi TT triunfou entre os desportivos e o Q5 entre os SUV. Os principais defeitos do desportivo foram o desgaste dos travões, danos no para-brisas e o desalinhamento dos faróis. Já o SUV peca apenas por danos causados no para-brisas por pedras.

Entre os utilitários, o Honda Jazz de terceira geração foi considerado o mais fiável, com 74,6% dos veículos analisados sem problemas. Para a Dekra, a sua única fraqueza é o desgaste no sistema de travagem, causado pelo desgaste dos discos de travagem, que também são vulneráveis à corrosão.

O BMW Série 1 emerge como vencedor entre os compactos, não tendo a Dekra sinalizado nenhuma fraqueza significativa. Ainda assim, os técnicos aconselham um cuidado extra com as luzes de nevoeiro, especialmente em veículos com quilometragens mais elevadas, devido a eventuais danos. Também é apontada uma visibilidade diminuta em algumas áreas laterais.

O Volvo S60 venceu pela segunda vez a sua categoria.

O Volvo S60/V60 triunfa nos familiares médios, com 89,4%. O modelo sueco recebe um louvor dos técnicos da Dekra devido ao facto de o aumento da quilometragem não significar mais problemas.

Já entre os monovolumes o melhor foi o Ford C-Max. No relatório da Dekra, a segunda geração do C-Max convence, com bons resultados em todos os critérios. No entanto, não prejudicará dar especial atenção aos discos de travão.

Os Mercedes-Benz Vito e Viano foram os melhores entre os furgões compactos. As maiores falhas encontradas pela Dekra prendem-se com fugas de óleo provenientes do diferencial. Debaixo da carroçaria, há ainda que atentar na possibilidade de existirem molas partidas ou de o sistema de escape estar solto, dosi outros problemas com maior incidência no relatório da Dekra.

Entre os furgões de maiores dimensões o eleito foi o Renault Master, o que acontece pela segunda vez consecutiva. Entre as falhas mais recorrentas encontram-se rachas na cobertura do eixo de transmissão, pinças de travão com fugas de líquido e trancamento do volante, mas com com a chave na ignição.





Mais notícias