“Esta vitória é um bom passo na música portuguesa”

Salvador Sobral chegou por volta das 16h15 ao aeroporto de Lisboa, onde foi recebido por milhares de pessoas. Aos jornalistas, o cantor admitiu estar "muito cansado" mas mesmo assim brincou na conferência de imprensa.

Reuters

Salvador Sobral, de 27 anos, venceu ontem o Festival da Canção da Eurovisão, trazendo pela primeira vez o “caneco” para Portugal.

À saída do avião, Salvador disse a um jornalista da RTP que recusa o papel de “novo herói nacional”.

“Esse papel é do Cristiano Ronaldo e eu prefiro que assim seja. Não me sinto especial, apenas fui fazer o que eu gosto, que é cantar. Foi uma missão musical mas não me sinto um herói nacional”.

Como é tradição, o país vencedor recebe a próxima edição do festival, um evento que Salvador espera que contribua “bastante para a cultura e o turismo”.

No aeroporto Humberto Delgado foram milhares as pessoas que esperavam pela delegação portuguesa, um apoio que o cantor agradeceu. “As pessoas são muito queridas em vir, vou aceitar o carinho e depois vamos todos descansar.”

Em conferência de imprensa, Luísa Sobral, irmã do cantor e a compositora da música “Amar Pelos Dois”, admitiu que sempre fez sentido a música ser em português, uma vez que estariam a representar Portugal. Para o seu irmão, foi importante que as pessoas, apesar de não perceberem a letra, conseguissem emocionar-se com a canção e ainda brincou: “Eu podia estar ali a dizer ‘vão-se lixar, a Europa não serve para nada’ e eles não percebiam.”



Mais notícias