Empresa da Google vai libertar 20 milhões de mosquitos

Objetivo do projeto passa por introduzir uma bactéria natural nestes insetos transportadores de doenças mortais de forma a que a sua reprodução se torne cada vez mais fraca, até a espécie ser extinta.

Vinte milhões de mosquitos Aedes aegypti vão ser libertados na Califórnia para, segundo dizem os especialistas do projeto, controlar “o animal mais mortal do mundo”.

De nome Debug, este projeto pertence à Verily Life Sciences, uma ramificação da Alphabet Inc, empresa da Google, com a colaboração do MosquitoMate e a cidade californiana, Fresno.

O objetivo passa pela introdução de uma bactéria natural nestes insetos, que transportam doenças como zika e dengue, para que a sua reprodução se torne cada vez mais fraca, até a espécie ser extinta.

Relata a Verily na sua página oficial que este estudo “está relacionado com mosquitos machos estéreis, tratados com Wolbachia” (bactéria natural).

Isto significa que, mal os mosquitos machos sejam libertados em Fresno e tentem reproduzir-se com fêmeas, “os ovos não vão eclodir”.

“Assim sendo, as próximas gerações vão tornando-se mais pequenas, mais pequenas e mais pequenas, até que sejam erradicados”, é explicado no vídeo do projeto.