Dois mil anos de temperaturas numa só base de dados

Investigadores australianos criam base de dados que reúne as temperaturas dos últimos dois mil anos. A invenção será importante para analisar as atuais alterações climáticas.

Uma base de dados com as temperaturas dos últimos dois mil anos é a nova invenção da universidade da Tasmânia, na Austrália.

Os investigadores basearam a sua investigação em amostras de corais, gelo polar e sedimentos aquáticos entre os séculos I e XIX.

A nova criação vai auxiliar no estudo sobre as variações climáticas e confirmam que as temperaturas vinham a descer até ao século XIX e desde então têm vindo a subir significativamente.

“Vai fornecer novo conhecimento sobre as variações climáticas naturais e será uma base muito importante para poder comparar as recentes alterações climáticas”, afirmou Steven Phipps, um dos autores do estudo, num artigo publicado na revista Scientific Data sobre a investigação, citado pela agência Lusa.

Amostras do gelo polar e sedimentos em lagos e mares foram outras das fontes utilizadas na recolha de dados.

“É um exemplo estupendo de colaboração científica e será uma ferramenta incrível para cientistas do clima. A base de dados é completamente aberta e estará disponível para qualquer um a usar”, acrescentou Steven Phipps.