Desapareceram 1,3 milhões de euros do fundo para Pedrógão

O Revita, fundo criado a 17 de junho com donativos particulares, terá apenas 1,9 milhões de euros, quando as estimativas indicavam que deveria ter 3,2 milhões. O PSD exige ao Governo que esclareça a questão.

O fundo criado pelo Governo para ajudar as vítimas do incêndio em Pedrógão Grande é menor que as estimativas e o PSD exige saber a razão da diferença. O valor estimado de transferências para o fundo é de 3,2 milhões de euros, mas o montante que está no fundo é de apenas 1,9 milhões de euros.

O Revita, fundo criado a 17 de junho com donativos particulares, terá 1,3 milhões de euros em falta, segundo informações prestadas pelo ministro José António Vieira da Silva ao PSD. O partido da oposição quer agora perceber onde estão os donativos desaparecidos.

“Estes números contrastam em absoluto e de forma que, diria, ridícula, com aquela informação que circulou na opinião pública e publicada, acerca dos valores que teriam atingido os donativos dos particulares. Isto revela, por parte do Governo, uma total descoordenação e incapacidade de gerir os próprios donativos privados que se propôs através da criação de um fundo”, afirmou a social-democrata Teresa Morais, em declarações transmitidas pela TVI 24.

Teresa Morais criticou ainda o Governo por ter decidido gerir os donativos e defendeu que é, por isso, “absolutamente imperioso” que o Executivo liderado por António Costa “esclareça o valor do restantes donativos que não estão no fundo e que dê uma explicação aos portugueses acerca dessas quantias e de qual é o destino que lhe está a ser dado”.





Mais notícias