De três para um: Projetos de prospeção de petróleo no Algarve reduzidos

Presidente da República garantiu que seria "mais provável chegarmos à Lua do que haver petróleo no Algarve”. Projetos de prospeção seguem essa tendência.

Os três projetos de prospeção de petróleo em terra e no mar ao longo da costa do Algarve passaram a apenas um ao largo da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano, segundo se lê na página da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis (ENMC).

A proposta ainda ‘em cima da mesa’ é do consórcio ENI / Galp, que pretende procurar petróleo entre Aljezur e Sines, no entanto, caso o processo não desenvolva até Junho, o jornal Expresso revela que as entidades vão rescindir o contrato entrando o mesmo em incumprimento.

Os projetos em solo algarvio, relativos à prospeção de hidrocarbonetos, desapareceram da página da ENMC esta quinta-feira.

O Governo já tinha anunciado a rescisão dos contratos da Portfuel e, no inicio deste mês, o Ministério da Economia confirmou a rescisão do contrato com o consórcio Repsol/ Partex – uma decisão que surgiu no seguimento do não cumprimento do prazo previsto para o primeiro furo. A caução no valor de 4,5 milhões de euros já foi executada pelo Executivo.

Marcelo Rebelo de Sousa já tinha alertado, perante manifestantes algarvios contra a procura de petróleo que “é mais provável chegarmos à Lua do que haver petróleo no Algarve” relembrando que o projecto que sobra “provavelmente não existirá”.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB