Da música clássica em Sintra à comédia em palco em Lisboa

Conheça as nossas sugestões para eventos de arte e cultura este fim-de-semana em Lisboa.

Sexta-feira
Homenagem a Olga Prats na abertura do Festival de Sintra
A nossa principal sugestão da semana para Lisboa fica a 20 quilómetros da capital. É em Sintra e vai decorrer até ao dia 27 de maio. E se é verdade que todas as razões são boas para ir a Sintra, isso é ainda mais verdade durante o Festival, que vai este ano para sua 52ª edição.

São cerca de 30 concertos em locais emblemáticos de Sintra, assim como no espaço público, para ver e ouvir entre hoje e 27 de maio.
Os pianistas Olga Prats, Wim Mertens, Lígia Moreno e Mário Laginha, o acordeonista Richard Galliano e o quarteto de cordas Hugo Wolf Quartet são alguns dos nomes que trazem sonoridades ecléticas ao Festival de Sintra.
Esta sexta-feira, o evento começa com um ponto alto: a homenagem a Olga Prats. No Centro Cultural Olga Cadaval, esta referência incontornável da música em Portugal vai partilhar o palco com convidados como António Victorino de Almeida, Artur Pizarro e Alejandro Erlich-Oliva, entre outros.

O compositor, contratenor, pianista, guitarrista e musicólogo Wim Mertens estará a solo no Centro Cultural Olga Cadaval, no sábado, com um concerto que tem recebido o aplauso unânime das mais importantes plateias mundiais.
No domingo, dia da mãe, a pianista brasileira Lígia Moreno vem de Petrópolis para atuar em Portugal. Distinguida com mais de 20 prémios, Lígia Moreno é um valor seguro da escola sul-americana de piano e apresenta-se na Quinta da Piedade.

Festival
Festival de Sintra
Até 27 de maio
Centro Olga Cadaval, Sintra
Preço: 15 euros

 

Sexta-feira

Cinema alternativo para todos
O IndieLisboa é um clássico do roteiro cultural e civilizacional de Lisboa. Na sua 14ª edição, o festival deste ano, que jarrancou na quarta-feira, apresenta 296 filmes (94 longas e 202 curtas-metragens) nas várias secções. São cinco os locais onde os filmes serão exibidos: Culturgest, São Jorge, Cinema Ideal, Capitólio e Cinemateca.
Com programação dividida por dez secções, e a decorrer até ao dia 14 deste mês, o IndieLisboa tem propostas para todos os gostos. Para conhecer a programação completa nada melhor do que consultar o site em http://indielisboa.com/programacao-indielisboa-2017/

Cinema
Festival IndieLisboa
Até 14 de maio
Vários horários e locais de exibição
Preço: Bilhete simples: 4 euros

Sábado

A Lisboa que teria sido
Visita guiada ao espólio que conta com cerca de 200 projetos, maquetas, desenhos e propostas apresentadas para Lisboa, desde os séculos XVI até ao XX, mas que nunca chegaram a ser realizados. O Museu de Lisboa apresenta a Lisboa projetada por arquitetos, urbanistas e pensadores da cidade como Francisco de Holanda, Eugénio dos Santos, J. C. Nicolas Forestier, Ventura Terra, Cristino da Silva, Raul Lino, Cottinelli Telmo e Cassiano Branco, entre outros.

Exposição
Museu de Lisboa – Palácio Pimenta, Campo Grande, 245
11h00
Preço: 4 euros, grátis para crianças até aos 12 anos

Domingo

Que tal um programa em família no Zoo?
No Jardim Zoológico vai poder viajar pelo mundo sem sair de Lisboa. Comece por descobrir os tigres-de-sumatra na densa vegetação da Floresta Tropical Húmida, por observar o comportamento de leões, girafas e elefantes da árida Savana Africana e deslumbre-se com os voos majestosos das coloridas aves da América do Sul. O bilhete do Jardim Zoológico dá acesso a todas as apresentações golfinhos, aves, répteis e leões-marinhos, e inclui também a entrada no reptilário e o passeio de teleférico. Um programa familiar para o Dia da Mãe.
Família
Jardim Zoológico
10h00
Preço: crianças até aos 2 anos não pagam
Crianças até aos 12: 14,50 euros
Adulto: 20,50 euros
Maior de 65 anos: 16 euros

Terça-feira

De volta à Caverna
A peça Caveman é um recorde mundial: o monólogo com mais tempo em cena na história da Broadway já foi visto em 45 países e traduzido para 18 idiomas diferentes.
Em Portugal estreou-se com grande sucesso em 2009. O texto de Rob Becker, traduzido por Filipa Mourato e encenado por António Pires, é uma peça deliciosa sobre a natureza humana. Homens ou mulheres, independentemente das suas origens e estados civis, vão rever-se neste texto: sorrir, rir abertamente, corar de vergonha reflexa, perceber que algumas das reações que tiveram ao longo da vida não são únicas e exclusivas. A peça está de volta ao Villaret, às terças-feiras. Com Jorge Mourato, claro.

Teatro
Caveman
Teatro Villaret
21h30, 12 euros




Mais notícias
PUB
PUB
PUB