CTT: Envio de cartas aumentou 50% desde 2013, denuncia Deco

A Deco denunciou hoje que o preço do envio de correio normal nacional até 20 gramas já subiu mais de 50% nos últimos quatro anos, criticando a ANACOM por não fornecer dados para analisar os aumentos feitos pelos CTT.

Rafael Marchante/Reuters

A partir de hoje, dia 4 de abril, os CTT aumentam os preços do serviço postal universal. Os novos valores correspondem, em termos globais, a uma variação média anual de 2,4% dos preços dos envios de correspondências, encomendas e correio editorial, o máximo permitido pelas regras em vigor, escreve a Deco.

Os preços para o envio de cartas e encomendas até 100 gramas pelos CTT passaram a custar em média mais 2,4%.

“O correio normal nacional até 20 gramas, dos mais usados pelos consumidores, é aquele que apresenta a situação mais gravosa, registando um aumento acumulado do preço base superior a 56% desde março de 2013 (quando o selo custava 32 cêntimos)”, e a partir de hoje custa 0,47 euros.

A Deco – Associação de Defesa do Consumidor diz que “para além disto, os dados que sustentam estes aumentos continuam sem ser divulgados e a confidencialidade invocada pela ANACOM não permite uma análise objetiva”, defende a Deco.

A Deco escreve que aguarda “que a ANACOM inicie o processo de definição dos critérios a que deve obedecer a fixação dos preços dos serviços postais do serviço universal para os próximos três anos, na expectativa que a proposta do regulador defenderá, eficazmente, os interesses dos consumidores e que permita conhecer critérios, simples e transparentes, para os aumentos anuais que vamos conhecendo.”

Mais notícias