Crescimento do PIB anima bolsa nacional

Jerónimo Martins valorizou 2,66% para 17,39 euros, equilibrando as perdas do ‘peso-pesado’ da energia, EDP. A Galp acompanhou os ganhos do preço do petróleo nos mercados internacionais.

Kai Pfaffenbach/Reuters

A bolsa nacional encerrou a valorizar 0,12% para 5.243,60 pontos, no dia em que foi publicado o PIB do primeiro trimestre. Os dados dos primeiros três meses do ano mostram que a economia portuguesa cresceu 2,8%. Esta é taxa de crescimento mais elevada em quase dez anos.

Segundo o organismo de estatística, a aceleração resultou do “maior contributo da procura externa líquida”, com um crescimento mais acentuado das exportações do que o das importações.

“A procura interna manteve um contributo positivo elevado, embora inferior ao do trimestre precedente, verificando-se uma desaceleração do consumo privado e uma aceleração do investimento”, acrescenta a nota do INE.

A Jerónimo Martins valorizou 2,66% para 17,39 euros, equilibrando as perdas do ‘peso-pesado’ da energia, EDP, que recuou 0,71% para 3,08 euros. EDP Renováveis subiu 0,16%. A NOS ganhou 0,79% para 5,50 euros.

A Galp acompanhou os ganhos do preço do petróleo nos mercados internacionais, terminando a sessão com os títulos nos 14,50 euros, depois de uma subida de 1,22%. O serviço postal nacional avançou 1,33% para 5,85 euros.

Destaque para a Sonae Capital que disparou 4,39% para 0,99 euros. A Sonae registou uma variação positiva de 1,79%. A construtora do índice, Mota-Engil, encerrou nos 2,60 euros.

Semapa e Altri ganharam 2,40% e 1,88% respectivamente. Nas perdas lidera a Corticeira Amorim, com uma quebra de 1,36%. A empresa terminou a sessão de hoje com os títulos nos 11,24 euros.

PUB
PUB
PUB