CGD: Marcelo “está profundamente implicado nisto”, realça porta-voz do PS

"Tudo aquilo de que é acusado Mário Centeno pode Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da República, 'ipsis verbis', ser acusado da mesma coisa", sublinha João Galamba.

Cristina Bernardo

“Tudo aquilo de que é acusado Mário Centeno pode Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da República, ‘ipsis verbis’, ser acusado da mesma coisa”, disse João Galamba no programa do Canal Q e da TSF “Sem Moderação” e citado pela Rádio Renascença.

Em causa está a polémica sobre as SMS trocadas entre o ministro das Finanças, Mário Centeno e o ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD). A SIC Notícias divulgou parte de mensagens  enviada por Mário Centeno a António Domingues, o ministro terá dado a entender que já tinha conseguido que o polémico decreto-lei não incluísse a obrigação da entrega da declaração de património ao Tribunal Constitucional. Na versão revelada à SIC, o ministro das Finanças terá deixado claro ter conseguido que o diploma não diga nada sobre a declaração de património, referindo-se ao decreto que alterou o estatuto de gestor público e que foi elaborado pelo escritório de advogados (Campos Ferreira e Sá Carneiro) aportado ao processo pelo ex-presidente da CGD.

“Tudo aquilo de que é acusado Mário Centeno pode Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente da República, ‘ipsis verbis’, ser acusado da mesma coisa”, acrescentou Galamba.

 



Mais notícias