Carlos Pereira defende que aumento da produtividade do país deve ser feito através da inovação e qualificação

O deputado do PS na Assembleia da República referiu que a internacionalização da economia exige a mobilização de todos os agentes económicos mas que isso "não pode ser atingido" colocando os rendimentos do capital contra os do trabalho.

O deputado do PS na Assembleia da República, Carlos Pereira, defendeu que o aumento da produtividade do país deve ser feito através da inovação e da qualificação e nunca no empobrecimento da país.

Carlos Pereira afirmou que a internacionalização da economia “exige a mobilização de todos os agentes económicos e a instalação de um clima de confiança” mas que esse objetivo não pode ser atingido “colocando os rendimentos do capital contra os rendimentos do trabalho”.

O socialista madeirense alertou que apesar de vivermos num mundo globalizado onde a competitividade das economias “exige a presença no mercado internacional em condições mais favoráveis que os seus concorrentes” o aumento da produtividade  “tem de ser criado a partir da inovação e da qualificação e nunca num empobrecimento dos portugueses”.

Na sua intervenção Carlos Pereira disse ainda que o programa internacionalizar “introduziu dezenas de iniciativas para ultrapassar as fragilidades do nosso comércio internacional” e ainda “reforçou os fatores de competitividade que afetam as nossas exportações”.

Atestando a mais valia desta aposta do executivo Carlos Pereira lembrou que “o peso das exportações no PIB é de 43% o valor mais elevado de sempre e que as exportações cresceram 8% no ano passado”.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB