Camionistas lançam ultimato de quatro dias para Governo atenuar custos com combustíveis

Após uma reunião, que teve lugar hoje, com o Secretário de Estado das Infraestruturas (SEI), Guilherme W. d' Oliveira Martins, a direcção da ANTRAM propôs o alargamento do gasóleo profissional, a majoração com custos de combustíveis e benefícios fiscais para os camionistas.

A ANTRAM – Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias lançou esta segunda-feira, dia 28 de maio, um ultimato ao Governo, para resolver a situação do aumento constante que sze tem verificado no preço dos combustíveis.

Após uma reunião, que teve lugar hoje, com o secretário de Estado das Infraestruturas (SEI), Guilherme W. d’ Oliveira Martins, a direcção da ANTRAM propôs o alargamento do gasóleo profissional, a majoração com custos de combustíveis e benefícios fiscais para os camionistas.

“A ANTRAM aguarda, no prazo de quatro dias, ‘feedback do SEI relativamente à proposta apresentada. Findo esse período, e caso não obtenha qualquer resposta, a associação estará totalmente solidária com as ações que as empresas de transporte decidirem definir”, assume a associação presidida por Gustavo Paulo Duarte.

A paralisação dos associados da ANTRAM ou mesmo a greve podem ser cenários em cima da mesa se o governo não aceitar as propostas da ANTRAM até ao final desta semana.

Recorde-se que hoje já está a ocorrer, desde as oito horas da manhã uma paralisação, em todo o país,  dos camionistas associados da ANTP – Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas.

Na reunião, que decorreu esta manhã, 28 de maio, a associação apresentou um conjunto de soluções que têm como objetivo inverter a situação atual, medidas essas que permitirão alcançar, consequentemente, a sustentabilidade e viabilidade do setor. Entre as propostas apresentadas, destaque-se, por exemplo, o alargamento do regime do gasóleo profissional por mais dois anos, o alargamento relativo ao número de litros (passando do benefício dos 30 mil para os 50 mil litros) e, ainda, o alargamento da tipologia dos veículos (passando a abranger veículos a partir das 7,5 toneladas)”, revela um comunicado da ANTRAM.

Esse documento acrescenta: “a majoração com os custos de combustíveis, para efeitos de IRC, que deverá passar para os 130%, e a majoração com os custos das portagens são outras das soluções propostas”.

“No encontro, a ANTRAM solicitou, ainda, que o setor passe a ser abrangido pelo Regime Fiscal de Apoio ao Investimento (RFAI), já a partir de 2019, e que possa ser concedido, também e ainda em 2018, um Crédito Fiscal Extraordinário ao Investimento (CFEI). Por fim, saliente-se a proposta relacionada com o benefício fiscal, centrada na isenção de mais-valias em sede de IRC, quando reinvestidas na aquisição de veículos de mercadorias”, revela o referido comunicado.

A ANTRAM, é uma associação patronal, constituída em junho de 1975, que diz representar neste momento cerca de duas mil empresas nacionais de transporte profissional de mercadorias.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB